Justiça bloqueia bens e quebra sigilo fiscal de Benedita da Silva

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

download (2)A deputada federal eleita pelo PT Benedita da Silva teve seus bens bloqueados e a quebra de sigilo bancário e fiscal determinada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro devido ao dano causado ao patrimônio público.

 

Membro da igreja Presbiteriana, Benedita é acusada de improbidade administrativa enquanto gestora da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, por fraudes em convênios entre a Fundação Darcy Ribeiro (FUNDAR) e ONGs com o Ministério da Justiça.

 

A decisão da 6ª Vara de Fazenda Pública vale até que seja ressarcido o valor de R$ 32.094.569,03 do rombo causado pela gestão da ex-governadora do Rio de Janeiro. Também são acusados o ex-subsecretário da pasta e secretário executivo dos programas sociais, Raymundo Sérgio Borges de Almeida Andrea; e o gestor e representante legal da FUNDAR, Paulo de F. Ribeiro.

 

A ação destaca entre as irregularidades o grave prejuízo ao patrimônio público do Estado do Rio de Janeiro, execução financeira irregular, falta de controle sobre a prestação do serviço; precária prestação de contas; dispensa irregular de licitação e evidente direcionamento da contratação em favor da Fundação Darcy Ribeiro, subcontratação de ONGs para a execução do objeto, ligações pessoais e políticas das ONG’s com os gestores da SEASDH, além de objeto contratual genérico e ausência de justificativa adequada.

 

Com informações Estadão

OUTRAS NOTÍCIAS