Versículo do dia
E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia, um será o Senhor, e um será o seu nome.

Justiça de SP autoriza quebra de sigilo bancário do pastor Valdemiro Santiago e do presidente da Igreja Mundial

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

O pastor Valdemiro Santiago de Oliveira, fundador da “Igreja Mundial do Poder de Deus”. — Foto: Reprodução/Youtube

A Justiça de São Paulo autorizou a quebra do sigilo bancário do apóstolo Valdemiro Santiago, fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus, e do atual presidente da entidade, Mateus Machado de Oliveira. Eles são réus em um processo for falta de pagamento de aluguel na cidade de Guararema, no interior paulista, que cobra cerca de R$ 22 mil em aluguéis não pagos pela igreja fundada por Valdemiro.

A decisão sobre a queda de sigilo do pastor foi tomada pela juíza Monica Di Stasi, da 3ª Vara Cível de São Paulo, no último dia 10 de fevereiro, e tem como objetivo investigar se o patrimônio da Igreja Mundial confunde-se com o do fundador.

O proprietário do imóvel de Guararema pretende que o apóstolo e o atual presidente da Igreja Mundial sejam responsabilizados pela dívida não paga pela entidade.

No processo, Mateus Machado e Valdemiro dizem que a dívida é da igreja, e que eles não podem ser atingidos pela cobrança: “Valdemiro Santiago não faz parte do contrato social da igreja e nem assinou o contrato de locação como fiador”, afirmam os advogados do apóstolo, Felipe Palhares e Flávio Nery.

Ao pedir a investigação dos sigilos, o advogado do dono do imóvel, Douglas Dias Marcos, alega, porém, que há “clara conexão e responsabilidade direta” ou “evidente tentativa de fraude e blindagem de patrimônio” de Valdemiro ao tentar se isentar das responsabilidades jurídicas da organização fundada por ele.

“Corrobora a essa temática o conhecido abastamento de bens ostentados pelo ‘apóstolo’. Por outro lado, quando se procede a uma simples consulta de CNPJ, questiona-se como pode o ‘representante mor’ da organização viver de forma nababesca, acumulando patrimônios, ao mesmo tempo em que ‘sua organização’ apresenta exponencial crescimento em número de igreja simultâneo a um ‘score’ de baixíssima credibilidade (98% de possibilidade de inadimplência)”, afirmou o advogado.

O G1 procurou os advogados da Igreja Mundial para falar sobre a quebra dos sigilos, mas não recebeu retorno até a última atualização dessa reportagem.

 

OUTRAS NOTÍCIAS