Versículo do dia
Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui, sempre, o bem, tanto uns para com os outros como para com todos.

Justiça determina que igreja devolva dízimo a fiel

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

A igreja evangélica Mudança de Vida, de Rio Preto, no interior do estado de São Paulo, foi condenada pela Justiça a devolver dois cheques que totalizam R$ 16,5 mil (R$ 8.250,00 cada) a um ex-fiel, que se sentiu lesado com a cobrança em formato de dízimo.

Caso não devolva os cheques, a igreja poderá ser multada diariamente em R$ 500, segundo decisão do juiz Cristiano Jarreta Coelho, do Juizado Especial Cível (JEC).

Na ação, o advogado do ex-frequentador da igreja disse que foram usadas pelos representantes da igreja “artimanhas ardilosas” com promessa de mudança de vida.

“O grande problema é que notando a instabilidade financeira, do ora requerente, os pastores e prepostos da requerida (igreja), por meio de artimanhas ardilosas, começaram a pedir a chamada ’oferta’, prometendo para ele grandes mudanças em sua vida financeira e espiritual”, sustentou o advogado.

Os pastores ainda teriam dito ao fiel que, sem o sacrifício, ele não receberia as vitórias. “Novamente, o ’sacrifício’, é usado de forma subjetiva, com o intuito de demonstrar que, somente quando a oferta dói no bolso do colaborador, é que ele colherá os frutos, o que é um absurdo”, diz trecho da inicial.

Ainda de acordo com a inicial da ação, os cheques, que eram pré-datados, foram depositados antes das datas estipuladas, o que, segundo o advogado, prejudicou um financiamento junto à Caixa Econômica Federal, impedindo o fiel de vender uma casa recebida em herança.

A defesa da igreja alega na ação que não há registro de doação feita pelo ex-fiel. Eles apresentaram uma lista com nomes e valores doados por meio de cheque. A defesa afirma também que o requerente pode ter participado em algum momento da igreja, mas não com frequência citada.

O pedido de dano moral foi negado pelo magistrado por considerar que o ex-fiel não foi obrigado a entregar os cheques.

Fonte: Jornal Região Noroeste

OUTRAS NOTÍCIAS