Versículo do dia
Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da que está grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas.

Justiça manda Youtube excluir testemunhos de ex-candomblecistas

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

10370978_635834119866024_1366398350512327591_nA Justiça Federal do Rio de Janeiro aceitou, em caráter liminar, o pedido do Ministério Público Federal de obrigar o Google a retirar 16 vídeos que supostamente ofendem religiões de matriz africana.

 

Esses vídeos trazem testemunhos de fiéis evangélicos que antes eram membros de religiões como candomblé e umbanda e relatam a conversão comparando suas antigas crenças com demônios.

 

Ao julgar a liminar, o desembargador Reis Friede, do Tribunal Federal da 2ª Região, afirmou que a liberdade religiosa só é válida se respeitar as demais crenças.
“Ainda, aduz que todo culto religioso tem o direito de expressar seus pensamentos e manifestar sentimentos de acordo com suas próprias crenças, ritos e liturgias, ressaltando, entretanto, que a liberdade de manifestação religiosa não é absoluta, posto que limitada à obrigação de respeitar as crenças religiosas alheias”, afirmou ele que foi o relator do processo.

 

A primeira decisão sobre o caso gerou grande polêmica, pois o juiz federal titular da 17ª Vara Federal do Rio de Janeiro, Eugênio Rosa de Araújo, não aceitou o pedido de obrigar a retirada dos vídeos dizendo que os cultos de matriz africana não são religiões.

 

Por conta da pressão, e pelo pedido de investigação aberto contra ele, o juiz precisou voltar atrás e aceitar as crenças como religião, mas manteve o direito dos vídeos continuarem sendo exibidos no Youtube.
Com a nova decisão o Google deve retirar os vídeos do ar no prazo de 72 horas correndo o risco de ter que pagar uma multa de R$50 mil em caso de descumprimento. Cabe recurso.

 

Com informações G1.

OUTRAS NOTÍCIAS