Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 24/07/2019

Liberdade religiosa piora em todo o mundo, revela pesquisa

As restrições governamentais à religião aumentaram em todo o mundo – e cristãos e muçulmanos são perseguidos em mais países do que qualquer outro grupo religioso, revelou o Pew Research Center.

 

O relatório da Pew, intitulado “Uma visão mais detalhada de como as restrições religiosas aumentaram em todo o mundo”, abrangeu um período de 10 anos, de 2007 a 2017, e estudou 198 países.

 

O estudo revela que os cristãos são o grupo religioso mais hostilizado no mundo, enfrentando perseguição em 143 países. Os muçulmanos não estão muito atrás, com relatos de perseguição religiosa em 140 países em 2017. Os judeus, o terceiro grupo mais visado, foram perseguidos em 87 países.

 

“Ao longo da década de 2007 a 2017, as restrições do governo à religião – leis, políticas e ações de autoridades estaduais que restringem as crenças e práticas religiosas – aumentaram significativamente em todo o mundo”, afirmaram os pesquisadores. “E hostilidades sociais envolvendo religião – incluindo violência e assédio por indivíduos, organizações ou grupos privados – também aumentaram desde 2007.”

 

Sem surpresa, cristãos e muçulmanos sofreram o maior assédio na região do Oriente Médio e Norte da África, enquanto a região da Ásia-Pacífico mostrou o segundo mais alto nível de perseguição cristã. O número de países altamente populosos, como a China e a Rússia, que impõem níveis “altos” ou “muito altos” de restrição subiu de 40 para 52 ao longo da década.

 

Mas as restrições governamentais à religião também aumentaram nas democracias: no geral, a Europa viu o maior aumento nas restrições, com sua pontuação duplicando ao longo da década do estudo.

 

A Pew descobriu que um número crescente de países europeus colocou restrições ao vestuário religioso, enquanto países como a Espanha restringiram a pregação pública e o proselitismo por vários grupos religiosos.

 

Embora as Américas tenham sido a região com o menor número de restrições e hostilidades, os limites do governo às atividades religiosas ainda registraram um aumento significativo. Durante o período do estudo, o número de países nas Américas com restrições governamentais às atividades religiosas saltou de 16 para 28.

 

A pontuação dos EUA em hostilidades relacionadas a normas religiosas, que era de 0,0 em 2007, aumentou para 4,0 em 2017.

 

No geral, os países com os maiores níveis de restrições foram China, Irã, Rússia, Egito e Indonésia. Os países com os níveis mais baixos foram a África do Sul, o Japão, as Filipinas, o Brasil e a Coreia do Sul. De acordo com o Pew, em apenas 26 países (13%) todos os grupos religiosos “geralmente são tratados da mesma forma”.

 

O relatório Pew foi divulgado no momento em que o Departamento de Estado dos EUA organizou uma reunião ministerial de três dias para promover a liberdade religiosa em Washington, assistida por autoridades governamentais, líderes religiosos e outros participantes de regiões do mundo e foi considerada a maior do seu tipo já realizada.

 

Folha Gospel com informações de The Christian Post