Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 07/12/2018

Limpeza em canais de drenagem é intensificada em Feira de Santana

Visando melhorar o escoamento das águas e combater plagas urbanas, que são atraídas pelo acúmulo de lixo, entulho e vegetação alta, a Secretaria Municipal de Serviços Públicos(SESP) vem intensificando os trabalhos de limpeza em canais de drenagem. Segundo o secretário Justiniano França, o serviço de desobstrução é realizado, normalmente, uma a duas vezes por ano, em cada canal.

 

“No entanto, em casos emergenciais, como ocorrência de fortes chuvas, as áreas mais críticas, com predominância de entupimentos e alagamentos, são assistidas quantas vezes forem necessárias pelas equipes da SESP, por meio da limpeza mecanizada e manual, tendo à disposição uma escavadeira hidráulica de esteira, uma pá carregadeira, uma retroescavadeira com braço estendido, oito caçambas e cerca de 20 trabalhadores”, disse.

 

Justiniano informou que, atualmente, os serviços de limpeza estão concentrados nos canais do conjunto Luís Eduardo Magalhães (Parque Linear) e na região da Mangabeira, que abrange Conceição I e II, Parque Brasil, Parque Ipê e João Paulo.

 

Ele fez questão de ressaltar que, este ano, todos os canais de drenagem de Feira de Santana já passaram por manutenção. Porém, alguns, a exemplo do canal do conjunto Feira X, do bairro Aviário e da avenida do Canal, no bairro Rua Nova, vêm causando mais transtornos aos moradores, por conta do intenso volume de chuvas e, sobretudo, pelo descarte irregular de lixo e entulho.

 

280 toneladas de resíduos sólidos e vegetação retirados de canal

 

De acordo com secretário de Serviços Públicos, somente no Canal das imediações do Centro de Abastecimento (avenida do Canal), foram retiradas cerca de 280 toneladas de resíduos sólidos e vegetação.

 

“Infelizmente, um grande número de pessoas não tem colaborado com a limpeza pública. Temos encontrado, com frequência, lixo de várias espécies nos canais e córregos, a exemplo de entulho, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, móveis e até animais domésticos mortos, como gatos e cachorros”, lamentou Justiniano França, alertando que o descarte inadequado de resíduos traz prejuízos financeiros e ambientais, além de colocar em risco à saúde pública.

 

Secom