Versículo do dia
De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus.

Livros e jogos educativos auxiliam na aprendizagem de internos do Conjunto Penal

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

A leitura tem proporcionado novos horizontes para internos do Conjunto Penal de Jequié, no sudoeste da Bahia. Neste momento em que nem mesmo as visitas dos familiares é permitida, por conta da pandemia do novo coronavírus, a possibilidade de aprender e reavivar os sonhos de liberdade ganha um estímulo a mais por meio dos livros didáticos e de diferentes gêneros literários que são entregues pelo Colégio Estadual Luiz Navarro de Brito.

O trabalho realizado pelos gestores e professores da unidade escolar, localizada em Jequié, consiste na entrega de materiais pedagógicos, que, além dos livros, incluem jogos educativos. A diretora do Colégio Estadual Luiz Navarro de Brito, Fabrine Machado de Novaes, disse que o trabalho impacta na implantação do projeto federal ‘Remição pela Leitura’, que prevê a redução da pena por meio do trabalho ou dos estudos, conforme a Lei nº 7.210/84. Ela considera que a atividade educacional é a forma mais efetiva de reintegrar o indivíduo à sociedade.

“A nossa finalidade, com esta iniciativa, não é apenas amenizar o distanciamento social, mas também possibilitar a implantação de novos programas de remição penal. Na entrega do material pedagógico, fomos recepcionados com alegria pelos internos e coordenadores da unidade. Eles nos disseram que os jogos educativos e os livros servirão como importante apoio nestes tempos de isolamento total, quando não estão recebendo visitas, nem mesmo dos familiares”, afirmou Fabrine.

Os internos consideraram os livros importantes, sobretudo, porque poderão possibilitar o início do projeto voltado à remição pela leitura, como ressalta a gestora, que foi acompanhada do vice-diretor da escola, Rael Rios Mascarenhas, para a entrega do material ao diretor do Conjunto Penal de Jequié, capitão João Henrique Rebouças da Cruz, e ao diretor adjunto Jonkarlos dos Santos Andrade.

As psicólogas da unidade prisional são responsáveis pela distribuição dos livros paradidáticos, que têm conteúdos variados, a depender da escolaridade de cada interno, e o pessoal do laborativo divide os jogos – xadrez, baralho, dominó, dama e quebra-cabeça –, que têm como objetivo aguçar a inteligência e a criatividade. Os internos que vão fazer a Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA) e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) recebem módulos da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado

OUTRAS NOTÍCIAS