Versículo do dia
Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus.

Maioria dos moradores de rua é da região, diz pesquisa

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

2102015101406A maioria dos moradores de rua em Feira de Santana é da própria região e não mais de localidades distantes, como ocorria há alguns anos. A mudança na origem deste percentual da população foi identificada através de pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso) em parceria com a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e apoio da ONG Movimento População de Rua.

 

A pesquisa, realizada em 2014, durou 15 meses para ser concluída e agora foi apresentada na quinta-feira, 1º, durante o Seminário Sobre População de Rua, promovido pela Sedeso, no auditório da faculdade Uniasselvi. Foi direcionada aos profissionais dos CRAS, CREAS e a gestores da própria secretaria.

 

Durante o evento, a apresentação de palestras do secretário da Sedeso, o professor e sociólogo Ildes Ferreira, o professor Eliab Barbosa e Carlos César Barros, da UEFS e que coordenou a pesquisa. Também depoimentos do casal e ex-moradores de rua Edcarlos Venâncio Cerqueira e Carla Almeida, do Movimento População de Rua e que colaboraram com a pesquisa.

 

Através da pesquisa foram identificados e entrevistados 1423 moradores de rua. A grande maioria formada por homens, com idade próxima dos 40 anos e não brancos. A grande parte deles tem origem da própria região metropolitana de Feira de Santana.

 

O secretário Ildes Ferreira ressalta a importância da pesquisa. “A idéia é que este trabalho venha subsidiar nossas ações. E nos fornece dados importantíssimos que nós precisamos trabalhar”, frisou, ao observar que a pesquisa sobre moradores de rua é muito rara no Brasil.

OUTRAS NOTÍCIAS