Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 19/12/2018

Mais da metade do acervo da Biblioteca Arnold Silva já está catalogado

Quase oito mil livros, que correspondem a cerca de 55% do acervo da Biblioteca Municipal Arnold Silva, já foram catalogados por técnicos da instituição. O serviço, que é detalhado, vem sendo feito ao longo dos últimos meses. É o registro do livro, que ganha uma etiqueta na lombada. É a sua identidade.

 

Complexa, a catalogação é essencial para as bibliotecas e grandes acervos porque os deixam organizados e facilita a consulta dos livros pelos usuários. Os livros ganham uma etiqueta onde constam as informações necessárias à sua identificação.

 

São disponibilizados nas prateleiras por números. Os romances ficam no térreo – separados por origem, e os didáticos ficam à disposição dos estudantes no primeiro andar da biblioteca.

 

Quando o serviço for concluído, os gestores saberão quais e quantos são os livros, bem como os seus gêneros, quantos romances ou são didáticos. E o serviço vai continuar sendo feito nos próximos meses, visto que a Biblioteca recebe doações de instituições e de pessoas físicas.

 

Recentemente, a FTC (Faculdade de Tecnologia e Ciências) doou cerca de 500 livros, que passarão pelo processo de catalogação. “Por isso, este serviço é contínuo”, diz a servidora Ana Paula Souza Simas. Pessoas físicas também fazem doações esporadicamente e todos passam pelo mesmo processo.

 

A forma usada para catalogação na Arnold Silva, a CDD (Classificação Decimal de Dewey) foi baixado gratuitamente na internet. É a mais utilizada nas bibliotecas de mais de 150 países. Na etiqueta estão todas as informações necessárias para que o livro seja encontrado sem problemas e rapidez.

 

Os números e letras informam o assunto, nome do autor, título do livro, número do exemplar (se houver mais de um) e o tombo, que, segundo Ana Paula, é a informação mais importante que consta na etiqueta. É a prova de que ele pertence ao acervo da biblioteca.

 

Os livros também recebem carimbos da Biblioteca Arnold Silva, em algumas páginas. Todos, sem exceção, são carimbados na página 81. São provas da origem do volume e impedem, principalmente no caso de extravio, que a página seja retirada – o livro fica incompleto.

 

Secom