Versículo do dia
Ora, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas.

Mais de 10 famílias cristãs foram espancadas por radicais do hinduísmo na Índia

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Os cristãos que vivem na Índia, país onde a maioria da população segue o hinduísmo, enfrentam uma escalada de perseguição religiosa cada vez mais preocupante, especialmente nas zonas mais remotas do país, onde a fiscalização das autoridades é menor.

Em um episódio recente, por exemplo, uma multidão atacou e destruiu a casa de Chachiri Muduli, de 75 anos, na vila de Badaguda, leste do estado de Odisha. O lugar era utilizado como espaço de culto cristão e também servia de abrigo para oito famílias cristãs.

O ancião e suas netas, além de outras famílias do lugar também foram agredidas, segundo o JM Notícia. Em grande parte, esse tipo de reação está relacionado ao crescimento de ideais ultranacionalistas na Índia.

Indianos que pregam a “pureza” a Índia defendem o hinduísmo como religião-mãe no país, de modo que qualquer outra tradição religiosa se torna alvo de intimidação, perseguição e ataque aos seus fiéis.

“Os nacionalistas hindus radicais veem os seguidores de Jesus como estranhos à nação, todos os cristãos na Índia estão sofrendo perseguição”, informou a organização de vigilância religiosa Portas Abertas, conforme notícia do Gospel Mais em outra ocasião.

A entidade ressalta que ataques como o ocorrido na vila de Badaguda em 21 de julho passado, são métodos utilizados pelos radicais hindus, a fim de expulsar os cristãos de suas próprias terras.

“Impulsionados pelo desejo de purificar seu país do islamismo e do cristianismo, os nacionalistas não se esquivam de usar violência extensiva para alcançar seus objetivos”, diz a Portas Abertas.

Infelizmente, por causa da associação do radicalismo religioso à política, até mesmo autoridades que deveriam proteger os cristãos e outros vulneráveis se tornaram cúmplices de alguns casos de intolerância.

Infelizmente, por causa da associação do radicalismo religioso à política, até mesmo autoridades que deveriam proteger os cristãos e outros vulneráveis se tornaram cúmplices de alguns casos de intolerância.

“Entre os incidentes mais comuns estão: ataques às casas dos fiéis, líderes cristãos perseguidos, ameaçados, violentados e até mortos. Esses crimes estão acontecendo com mais frequência, nos últimos anos, por causa da impunidade judicial”, diz a Portas Abertas.

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS