Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 15/08/2018

Malafaia bate-boca com Boulos e diz não temer a esquerda: “Largo o aço em cima deles”

O debate presidencial na Band rendeu uma discussão entre o pastor Silas Malafaia e o candidato Guilherme Boulos (PSOL) que se estendeu ao longo dos últimos dias, virou meme nas redes sociais entre militantes de esquerda e obrigou o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo a explicar novamente as suspeitas sobre ele na Operação Timóteo.

 

Logo no começo do debate, Malafaia ironizou a atitude do candidato de saudar o ex-presidente Lula (PT), preso por corrupção e lavagem de dinheiro: “Boulos que pertence ao PSOL, puxadinho do PT, fazendo graça com o chefe da maior roubalheira do país, Lula! Quem defende criminoso preso não merece credibilidade”, escreveu o pastor.

 

Em sequência, Malafaia voltou a criticar a postura do candidato, conhecido por comandar um grupo social que pratica invasões de imóveis em nome da luta por moradia popular: “PIADA! Invasor de propriedade alheia, não tem moral de acusar ninguém, tinha que estar na cadeia! Esse é Boulos”.

 

Dois dias depois, Boulos respondeu com uma provocação: “Malafaia, você falar em moral? Mercador da fé alheia, indiciado por lavagem de dinheiro pela PF… Deveria ler mais a Bíblia: ‘Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé” (1 Timóteo 6:3-10)’”, afirmou, em referência à Operação Timóteo, da Polícia Federal, que resultou numa condução coercitiva para depoimento do pastor.

 

Ainda durante o debate, Malafaia atacou outros pontos do candidato do PSOL, favorável à descriminalização do aborto: “Boulos é um hipócrita! Direito de que mulheres? As adultas ou as que são pequenos bebês? Aborto é crime! Massacre dos poderosos sobre os indefesos que vivam já estavam , esperando a hora certa de nascer. O pequeno bebê não é prolongamento do corpo da mulher”.

 

Em outro trecho do debate, Malafaia ironizou as alegações do candidato sobre não ter ligações com os políticos envolvidos em escândalos: “Boulos representa o novo, não está comprometido com a velha política. INCOERENTE! A sua primeira fala é apoiando o chefe da maior roubalheira da história política do Brasil, LULA! Que moral tem? Nenhuma! Burguês invasor de propriedade alheia. VERGONHA!”, reiterou.

 

Operação Timóteo
A resposta de Guilherme Boulos ao tweet de Malafaia obrigou o pastor a recapitular seu suposto envolvimento em um esquema que desviou dezenas de milhões de reais. No ápice das investigações, o pastor chegou a ser obrigado a comparecer à Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo, para prestar depoimento.

 

Malafaia usou o Twitter para se defender das acusações de Guilherme Boulos: “VERDADE ABSOLUTA! NUNCA! Fui indiciado por lavagem de dinheiro, não existe nenhuma investigação do MP e da PF com respeito a esse assunto sobre a minha pessoa. Só mau caráter e gente inescrupulosa para acreditar em fake news de imprensa esquerdopata. BANDIDOS!”.

 

“A operação Timóteo, que investiga a roubalheira de mais de 70 milhões, produzida por larápios desde de 2015. Recebi uma oferta em 2013, de um dos envolvidos, declarada no IR. O próprio, diante da justiça, declarou a minha inocência. Não estou sendo investigado por lavagem dinheiro. QUEM ESTÁ COM A VERDADE, NÃO TEM MEDO DE SE EXPOR. SE TIVESSE ALGO ERRADO NA MINHA VIDA, ESSA CORJA DE ESQUERDOPATAS, NOS GOVS DE LULA E DILMA, REVIRARAM A MINHA VIDA DE PONTA A PONTA, NÃO ENCONTRARAM NADA, SE NÃO, TERIAM ME DESTRUÍDO. Ñ TENHO MEDO DELES, LARGO O AÇO EM CIMA DELES”, acrescentou o pastor.

 

Em maio de 2017, uma reportagem da revista IstoÉ revelou que os argumentos apresentados por Silas Malafaia contra a acusação de lavagem de dinheiro no escândalo investigado pela Operação Timóteo haviam sido corroborados pelo advogado Jader Alberto Pazinato, acusado de integrar o esquema de corrupção nos royalties da exploração mineral.

 

À época, Pazinato estava negociando uma delação premiada com a Procuradoria-Geral da República, oferencendo provas que tem contra funcionários do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), além de três conselheiros do Tribunal de Contas do Pará. Nesta negociação, o investigado “não diz nada” sobre Malafaia, pontuou a jornalista Débora Bergamasco: “O motivo é que o dinheiro era limpo e, portanto, o pastor não tinha que desconfiar de lavagem alguma, sustentam interlocutores do advogado”.

 

Por fim, Malafaia acusou o candidato do PSOL de tentar desviar o foco de suas críticas: “Boulos, como todo comunista, é dissimulado, cínico e mentiroso. Como não tem argumentos para debater ideias, o jeito, é caluniar os opositores. Usa as mentiras dos seus amiguinhos, os jornalistas esquerdopatas, para tentar atingir. Falar é fácil, está desafiado a provar”, finalizou.

 

 
Gospel +