Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 09/09/2018

Malafaia e Dilma discutem no Twitter e ex-presidente promete processo

A repercussão do atentado contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) levou a um bate-boca entre o pastor Silas Malafaia e a assessoria de imprensa de Dilma Rousseff (PT) no Twitter, por conta de uma suposta ligação do agressor com a campanha ao Senado da ex-presidente.

 

Malafaia dirigiu-se aos mineiros pedindo que rejeitem a candidatura de Dilma: “ATENÇÃO POVO ABENÇOADO DE MINAS GERAIS! O criminoso que tentou matar Bolsonaro é militante do PT e assessora a campanha de Dilma ao senado em Minas. Diga não a ela. FORA DILMA!”, escreveu o pastor.

 

A reação dos apoiadores da esquerda foi estridente, acusando Malafaia de fake news, e a assessoria de imprensa de Dilma Rousseff prometeu processo contra o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC).

 

“A campanha de Dilma Rousseff está entrando com processo por injúria, calúnia e difamação contra o senhor Malafaia. Terá de responder na Justiça”, publicou a assessoria da ex-presidente.

 

Silas Malafaia, que costuma sustentar suas alegações, insistiu: “A VERDADE DÓI NOS ESQUERDOPATAS E PETRALHAS! Eu não falei que o criminoso que tentou matar Bolsonaro é funcionário de Dilma, eu falei que assessora no sentido de apoiar a campanha dela. Foi preso com 4 telefones e 1 lap top, sempre apoiando as causas petistas. ELE APOIA DILMA!”, rebateu.

 
“O criminoso que tentou matar Bolsonaro, estava a 15 dias em Juiz de Fora, pagando a pensão com dinheiro ao vivo.Tem curso superior, não é doente mental, tem mais gente envolvida com certeza. O camarada é petralha, não adianta negar”, acrescentou Silas Malafaia.

 

 

Gospel +