Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 19/11/2019

Malafaia explica áudio em que se diz “decepcionado” com Bolsonaro: “Falei com o presidente”

Um áudio que teria sido vazado pelo deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), dissidente da base aliada do presidente Jair Bolsonaro (PSL), mostra um diálogo do pastor Silas Malafaia comentando aspectos do governo e afirmando estar “decepcionado”. Em vídeo, o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) rebateu abordagem feita pela imprensa

 

O conteúdo do áudio mostra Malafaia reprovando a decisão de Bolsonaro de afastar o ex-senador Magno Malta do governo: “Eu to profundamente decepcionado, irmão. Eu estou calado, não falo nada. Estou quietinho”, diz o pastor, que em seguida reputa essa opção do presidente como uma “sacanagem”.

 

No último domingo, 17 de novembro, Malafaia publicou um vídeo comentando a situação: “Notícia requentada! Em fevereiro, eu conversando com um cara – que eu pensava que ele estava recuperado, mas ele continua o mesmo mau-caráter de sempre – da minha contrariedade, que eu expus ao presidente, de Magno Malta não ter sido nomeado ministro. Isso saiu até na imprensa”, minimizou.

 

“Inclusive, a Folha de S. Paulo colocou uma frase que eu cito que ‘a gratidão é a memória do coração’ […] eu falei com o presidente. Eu apoio 100% Bolsonaro, só que eu não sou militonto [sic] e nem capacho. Eu tenho voo próprio. Eu tenho capacidade de olhar, perceber e discordar. Eu converso várias vezes com o presidente”, acrescentou o pastor.

Em seguida, o pastor aponta razões para sua contrariedade com o presidente na ocasião: “Discordei – que é um direito meu – dele não ter nomeado Magno, porque pra mim Magno foi o maior articulador da campanha da eleição de Bolsonaro no mundo evangélico. E um, não o único, dos motivos dele ter perdido uma eleição no Espírito Santo é que ele se dedicou inteiramente à campanha [presidencial]”.

 

“Eu acredito que Magno tem competência para ser ministro”, reiterou o pastor, pontuando que “o presidente, que é independente, tem a caneta na mão, achou que não”.

Malafaia questiona se a definição de apoio é a postura adotada pelos filiados e militantes do Partido dos Trabalhadores: “Vocês acham que apoiar é igual essa turma do PT, que tem que ser subserviente, e dizer ‘amém’ para tudo que o chefe da quadrilha deles fala?”.
Gospel +