Malafaia se desculpa com governador petista após críticas no caso da médica Raíssa Soares

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A médica Raíssa Soares se tornou notícia nacionalmente ao apelar ao presidente Jair Bolsonaro que fornecesse comprimidos de hidroxicloroquina para que ela pudesse receitar a seus pacientes no SUS, já que não conseguia o remédio junto ao governo do estado da Bahia. Dias depois, ela deixou o hospital onde trabalhava, e um rumor indicava que ela teria sido demitida pelo governador Rui Costa (PT).

Na esteira dos fatos, o pastor Silas Malafaia publicou um vídeo com críticas ao mandatário baiano, porém, após a própria Raíssa Soares vir a público informar que ela havia deixado o hospital estadual por incompatibilidade de agendas, o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) tratou de corrigir seu equívoco.

“Tenho que fazer um pedido de desculpas. Eu recebi uma informação, de um grande amigo meu, que é amigo e fala com a doutora Raíssa Soares, lá de Porto Seguro (BA), que me disse que ela tinha sido demitida pelo governador Rui Costa, que é do PT. E aí, de tarde, ela publica um vídeo – eu já tinha soltado o meu, ficou dez minutos no ar, mas não interessa o tempo que fica, mesmo que ficasse um minuto – dizendo que a questão dela não foi demissão do estado”, disse Malafaia.

“Quero aqui pedir desculpas ao governador da Bahia, retirar a minha palavra, porque eu sou homem para reconhecer quando erro, e a obrigação quando alguém erra é vir aqui e pedir desculpas”, reiterou o pastor.

Em seguida, aproveitou para lembrar que já existem leis para tratar de situações como essa, e que a atuação de autoridades para silenciar formadores de opinião por suas posições não cabe: “Por isso, minha gente, que quando você transmite alguma coisa errada, negativa, mentirosa, caluniosa, de difamação de alguém na rede social, ou você retira e conserta, ou você pode ser processado. Não precisa de inquérito de fake news. Já existem as leis e a própria pessoa reconhecer”, afirmou

“Tenho discordâncias com ele [Rui Costa], mas isso aí, não. A doutora não foi demitida pelo governador. Que tinha falta do remédio que ela pediu ao presidente, essa informação é correta. Mas que o governador mandou ela embora, não.”, enfatizou.

O presidente Jair Bolsonaro teve acesso ao vídeo em que Raíssa Soares fazia um apelo por remédios para os pacientes e decidiu enviar um lote com 40 mil comprimidos da hidroxicloroquina à Bahia, de acordo com informações do Correio Braziliense.

Por fim, Malafaia alfinetou a grande mídia: “Quem sabe essa notícia vai sair no jornal, não é? Porque o que eu falo daquele inquérito fajuta no STF, das pancadas que eu dou no STF e das minhas defesas a Bolsonaro, a imprensa não coloca. Talvez essa: ‘Pastor Silas Malafaia pede desculpas ao governador da Bahia, petista’. Talvez tenha alguma matéria. Mas eu quero deixar aqui registrado que não é verdade que ele demitiu a médica”.

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS