Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 01/02/2020

Marco Feliciano é entrevistado no Programa Pânico, da Jovem Pan

O pastor e deputado federal Marco Feliciano (sem partido) foi entrevistado nesta quinta-feira, 30, no programa Pânico, da rádio Jovem Pan.

 

Na entrevista ele afirmou que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, será o vice da chapa da campanha presidencial de Jair Bolsonaro em 2022.

 

Na segunda-feira (27), também em entrevista ao Pânico, Moro disse que não tinha intenções de ser vice de Bolsonaro e que o atual vice-presidente, general Hamilton Mourão, seria o nome ideal. Feliciano, no entanto, garantiu que a intenção do presidente é ter o ministro na chapa.

 

“O vice-presidente para 2022 já tem nome: Sergio Moro”, afirmou. “Estou falando pelo que sei do meu presidente”, continuou o parlamentar.

 

Apoiador declarado de Bolsonaro, Marco Feliciano pretende seguir ao lado do presidente, mas ainda não sabe se vai para o novo partido dele, Aliança Pelo Brasil. O deputado foi expulso do Podemos no ano passado.

 

“O partido Aliança não ficou pronto, e não posso ficar em Brasília sem partido, então estou meio perdido”, admitiu Feliciano. Ele afirmou que foi expulso do partido somente por ser apoiador de Bolsonaro.

 

“O presidente estadual do Podemos em São Paulo é parente do Bruno Covas [prefeito de São Paulo, do PSDB]. Ele quis me matar no ninho”, disse sobre Mario Covas Neto. “Ele usou de palavras chulas, argumentos espúrios, mentiras e inverdades para me expulsar.”

 

Feliciano ainda falou sobre os problemas do presidente com a imprensa e disse que o capitão reformado é perseguido. “Se o presidente Bolsonaro criasse a cura do câncer, iam arrumar um problema. A grande imprensa odeia ele”, declarou.

 

Briga com Bebianno

 

Também na entrevista, Marco Feliciano falou sobre a briga que teve com Gustavo Bebianno, ex-secretário-geral da Presidência da República. Nesta semana, Bebianno disse que o parlamentar “vive envolvido em escândalos grotescos”.

 

“Bebianno é um ignorante, neófito, para não chamar de canalha”, disparou Feliciano. “A pessoa que usa de mentira para atacar o outro é um ignorante, canalha, idiota”, continuou.

 

“Bebianno é o político BBB: vai para a televisão, acha que é importante, sai atacando todo mundo, é expulso da casa e cai no esquecimento”, comparou o deputado. Ele afirmou que já entrou na Justiça contra o ex-secretário. “Acionei na Justiça e ele parou [com os ataques] porque tem medo de justiça.”

 

Tratamento dentário

 

Feliciano também aproveitou para falar sobre o tratamento dentário que foi alvo de polêmicas. Segundo o deputado, o tratamento foi feito com o plano de saúde oferecido a parlamentares e custou R$ 188 mil.

 

“Não cometi nenhum crime, usei um benefício que é me dado pelo meu trabalho e fui punido por isso por um jornalista maldoso”, disse o deputado.

 

Marco Feliciano garantiu que a despesa foi aprovada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e até pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ele ainda afirmou que é perseguido por apoiar Bolsonaro. “Tem deputados que já gastaram R$ 3 milhões, inclusive com próteses, e ninguém fala nada”, disse.

 
Fonte: Jovem Pan