Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 16/01/2019

Medidas simples são eficientes e evitam reprodução do aedes aegypti

Algumas medidas simples adotadas pela comunidade no período de chuvas mais frequentes são eficientes no combate à proliferação do mosquito aedes aegypti, que transmite dengue, zika e chikungunya, mais a febre amarela urbana.

 

Iniciativas como procurar criadouros – vasilhas com água onde o mosquito deposita seus ovos – no quintal ou fazer uma varredura dentro das casas são fundamentais para interromper o ciclo de reprodução do aedes.

 

São criadouros em potencial os recipientes, por menor que sejam, que podem acumular água da chuva. E nas paredes destes potes o aedes deposita seus ovos, que eclodem em poucos dias. Os novos mosquitos potencializam o perigo de se contrair uma das doenças que o inseto transmite.

 

Todos devem prestar atenção para dar a destinação correta a todos os recipientes que podem ser transformados em criadouros. Baldes devem ficar em área coberta e com a boca para baixo. O mesmo procedimento deve ser adotado com vasos de plantas – as bases devem ser cobertas com areia.

 

Tudo que não mais for útil deve ser levado para o lixo. As vasilhas usadas como bebedouro para animais e aves devem ser lavadas diariamente – e as suas paredes esfregadas com lã de aço, ação que elimina os ovos, caso sejam depositados no local.

 

Secom