Versículo do dia
Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.

Ministério Público pede abertura de processo contra André Valadão por homofobia

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Mariana Gonzalez
De Universa, em São Paulo

O Ministério Público Federal encaminhou à Justiça, nesta quinta-feira, 15, uma queixa-crime feita por entidades civis contra o pastor e cantor evangélico André Valadão, que afirmou, nas redes sociais, que as igrejas não são lugar para pessoas LGBTQIA+.

A ABMLBT (Associação Brasileira de Mulheres Lésbicas, Bisexuais, Travestis e Transexuais) e o GADvS (Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero) protocolaram, em 29 de setembro, um pedido para que fosse aberta uma ação penal contra Valadão, por homofobia — desde o ano passado, por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), a Lei Antirracismo (7717/1989) engloba também casos de homofobia e transfobia

“Eles podem ir para um clube gay ou coisa assim, mas na igreja não dá. Esta prática não condiz com a vida da igreja. Tem muitos lugares que gays podem viver sem qualquer forma de constrangimento, mas na igreja é um lugar para quem quer viver princípios bíblicos”, escreveu André, em setembro, depois que um seguidor perguntou se a igreja deveria expulsar “dois homens que estão namorando”.

Na denúncia, as associações afirmam que Valadão “reafirmou um cenário de subjulgação, inferiorização, desumanização e exclusão dessas pessoas [LGBTQIA+] dentro de ambientes religiosos, proferindo um discurso de intolerância”.

O documento diz, ainda, que a homofobia é agravada pelo fato de o cantor ser uma liderança religiosa, com influência sobre pelo menos 90 mil membros da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte, e mais de 2,5 milhões de seguidores no Instagram.

Cabe agora à Justiça Federal decidir se abrirá ou não a ação penal contra o cantor que ainda não se pronunciou.

Fonte: Universa – UOL

OUTRAS NOTÍCIAS