Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 14/05/2019

Ministra Damares se defende após nova polêmica envolvendo o desenho “Frozen”

Depois de virar polêmica ao defender que meninos usem roupas de cor azul e meninas, rosa, a ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) voltou a frequentar as redes sociais ao ter um vídeo antigo viralizado em que aparece declarando que a princesa Elsa, personagem principal do filme Frozen, da Disney, terminou a trama sozinha em um castelo de gelo porque é lésbica.

 

No vídeo, que começou a circular neste sábado, 11, Damares aparece cantando a música tema do filme (Livre Estou) e diz: “Sabe por que ela [Elsa] termina sozinha em um castelo de gelo? Porque é lésbica! O cão está muito bem articulado e nós estamos alienados”. No fim, ela afirma que Elsa “vai acordar a Bela Adormecida com um beijo gay”.

 

O vídeo foi compartilhado pelo líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta.

 

“Eis o pensamento de uma ministra de estado dos Direitos Humanos. Disseminando ódio e preconceito contra um segmento social que já enfrenta todo tipo de estigma e preconceito”, afirmou o político que faz oposição ao governo Jair Bolsonaro (PSL).

 

Defesa

 

Damares respondeu no Instagram algumas horas depois.

 

Ela afirmou se tratar de uma “polêmica que tem como base novamente uma pequena parte recortada de um vídeo que foi gravado durante uma de minhas palestras na igreja”.

 

“Fui surpreendida com mais esta polêmica que tem como base, novamente, uma pequena parte recortada de um vídeo que foi gravado durante uma de minhas palestras na igreja. Minha crítica é conhecida de todos, eu critico é a tentativa de interferência dos ideólogos de gênero na identidade de nossas crianças. Vai um recado: criança não namora! Criança brinca e estuda”, escreveu Damares no Instagram na noite deste sábado (11).

 

Muitos internautas deturparam a declaração da ministra, porém, apesar de Elsa não ser apresentada como homossexual no primeiro desenho, uma das criadores da animação, Jennifer Lee, afirmou em 2018 que de fato existe essa possibilidade em futuras produções.

 

A ministra afirmou ainda que a fala ocorreu há 4 anos, porém, seu discurso se deu no dia 17 de abril de 2018 em Divinópolis (MG), quando ela foi uma das convidadas para uma “Palestra em Defesa da Família”, promovida pelo Centro de Formação Missão Maria de Nazaré, com a participação de lideranças cristãs da cidade.

 

Fonte: Pleno News e UOL