Mulher abraça e ora durante roubo e ladrão desiste de levar a chave do carro: ‘Veio ao lugar certo, vou te ajudar’

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Caso foi registrado na Depac de Dourados. — Foto: Reprodução/TV Morena

“Minha reação foi vou falar que sou pastora e vou orar por ele, vou acalmar ele, porque uma pessoa nervosa é capaz de atirar”. A ideia de uma proprietária de pet shop, em Dourados (MS), a 229 quilômetros de Campo Grande, impediu que um homem concluísse a tentativa de roubo em seu estabelecimento.

Tudo aconteceu no sábado (27), quando a sócia, veterinária e sobrinha da mulher de 53 anos, estava sozinha no pet shop que elas possuem na cidade. Um homem entrou no estabelecimento, anunciando o roubo. Ele teria mostrado uma arma à veterinária, que começou a chorar e conversar com ele.

Nesse momento, a proprietária chegou ao pet shop e o rumo da situação mudou. “Quando eu cheguei e passei por ele, perguntei o que estava acontecendo ali, porque eu já vi que tinha algo de errado”, conta a mulher, que preferiu não ser identificada por questões de segurança. “Ele colocou a mão na parede e disse: ‘Eu não tenho nada a perder’”, completa ela.

Foi então que a mulher, que é evangélica, teve uma ideia. “Eu sou evangélica e disse para ele que sou pastora, porque me veio na hora. Eu disse: você veio no lugar certo, eu vou te ajudar, você não precisa agir com violência”, relata. A partir desse instante, a mulher começou a orar pelo assaltante.

“Eu só coloquei a mão no peito dele e passei o outro braço no ombro, aí comecei a falar ‘você tem valor, Deus te ama, você tem uma pessoa que está orando por você, não quer te ver nessa vida. […] Não é isso que Deus quer para você’”, relembra a proprietária do pet shop.
Enquanto orava, ela foi guiando o assaltante até a saída do estabelecimento. Para trás, ele deixou a chave do carro e o celular que tinha pego da sobrinha dela. Segundo a vítima, na porta do local, o homem tirou o boné e disse que o próprio pai era pastor há 40 anos. “Mas aí eu acho que ele mentiu, porque primeiro qualquer um que fala em nome de Deus, já dá uma tremida”, conta a proprietária. Ela ainda relata que perguntou o nome dele, que respondeu.

“Depois ele entrou correndo, pegou o celular da minha sobrinha, porque viu que tinha dinheiro na capinha transparente, tinha R$ 40 ali. […] Ele me falou: você mentiu que não tinha dinheiro, só por isso que eu vou levar, mas aí ele foi embora”, conclui a mulher.

Para ela, a reação de falar que era pastora e orar pelo assaltante foi inesperada. “É tudo muito rápido, você não pensa. […] Deus toma da gente e conduz a coisa”, afirma. Como foi a primeira tentativa de assalto do pet shop, a mulher ainda teme pela segurança do local. “Já estou procurando câmera para colocar aqui dentro e lá fora”, explica.

O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) de Dourados, que investiga o ocorrido.

G1

 

 

OUTRAS NOTÍCIAS