Feira de Santana: Mulher pede ajuda após ter 70% do corpo queimado enquanto cozinhava com álcool : ‘pergunto se Deus está me vendo’

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Uma moradora de Feira de Santana teve 70% do corpo queimado quando cozinhava com álcool em gel em um forno a lenha. As marcas do acidente estão por todo o corpo de Íris Couto, que está acamada e precisa de ajuda para se manter.

O caso aconteceu em fevereiro deste ano. Íris Couto cozinhava no quintal com álcool em gel em uma espécie de fogareiro improvisado, em cima da pia, quando se descuidou e sofreu o acidente. Ela teve 70% do corpo queimado, foi socorrida e chegou a ficar quatro meses internada. Atualmente, ela precisa lidar com as sequelas deixadas pelo acidente.

“Eu me sinto muito triste, porque eu não sou uma pessoa de ficar parada. Era uma pessoa que trabalhava e me ver nessa situação é muito difícil”, disse Íris Couto.

“Tem horas que eu me pergunto se Deus não está me vendo, porque eu estou nessa situação e eu não aceito ainda”, afirmou. Ela tem dificuldades para andar, já que diz sentir dores nas pernas.

“Eu sinto muita dor na região da barriga e nas pernas, porque são os lugares que estão mais queimados. Eu não consigo me locomover porque é muita dor que eu sinto na minha barriga e nas pernas”, relatou a baiana, com dificuldades na fala.

Íris passa o dia quase que inteiro no sofá. Sem conseguir fazer praticamente nada sozinha, ela conta com ajuda da filha de 8 anos e também de vizinhos.

“Os vizinhos que me ajudam, a filha dela (da vizinha) que vem aqui e limpa a casa, lava os pratos. Minha filha que me dá o remédio, me dá uma assistenciazinha quando as meninas não podem”, conta.

Mulher pede ajuda após ter 70% do corpo queimado enquanto cozinhava com álcool — Foto: Reprodução/TV Subaé

Mas os problemas não param por aí, como não tem condições de trabalhar, Íris está sem energia elétrica, sem gás, deve quatro meses de aluguel e ainda teve o benefício suspenso por falta de documentação.

“Eu não tenho condição de tirar o documento por causa da situação que estou. Eu estou devendo a casa que moro, vai fazer cinco meses agora, eu estou sem luz dentro de casa, estava sem água também e eu estou nessa situação aqui”, disse emocionada.

Comovida com a situação de Íris, a vendedora Lucineide Silva, resolveu ajudar. Ela contou que ficou sabendo da história através de um grupo solidário em uma rede social e a partir daí, começou a arrecadar alimentos.

“Deus me comoveu muito nessa situação da Íris, que na mesma quarta-feira eu comecei a chamar ela, pedi vídeo. A única coisa que eu peço é que vamos amar o próximo como a si mesmo”, disse a vendedora.

“Eu não conhecia Íris, mas Jesus conhecia. Vamos ajudar ela a fazer um ato de amor, que é o que o mundo precisa”, afirmou.

As pessoas que tiverem interesse em ajudar Íris, podem entrar em contato com a produção da TV Subaé, afiliada da TV Bahia, através do número: 75 3602-4300.

G1 Bahia, com imagens da TV Subaé

OUTRAS NOTÍCIAS