“Não posso tá deixando homem montando em cima de homem dentro da minha casa”, diz Isidório

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Há 28 anos a frente do maior centro de tratamento de dependentes químicos no estado da Bahia, a Fundação Dr. Jesus, o pastor, sargento e deputado federal Isidório é o pré-candidato do Avante à prefeitura de Salvador. Com um estilo controverso, o militar-religioso-parlamentar implementa em seu discurso a tentativa de expandir o seu nicho de eleitores e extrapolar o círculo evangélico-conservador que predomina o seu eleitorado.

 

Em entrevista ao programa Panorama Eleições 2020, Isidório disse que abraça os homossexuais, mas mostra preocupação com as campanhas da Prefeitura voltadas para a diversidade. Para ele, a demonstração homoafetiva deve se restringir às quatro paredes: “Não posso tá deixando homem montando em cima de homem dentro da minha casa”.

 

Apesar da devoção a Rui, Isidório acredita que se o governador colocar a “mão” nesta briga, pode criar ruídos com os outros aliados. Ele também não foge da comparação com Bolsonaro e admite que concorda com o posicionamento do presidente da República em relação à defesa da família. Por outro lado, acredita que “violência gera violência” e se posiciona radicalmente contra a liberação do porte de armas, pauta defendida pelos bolsonaristas.

 

Doido, mas nem tanto, Isidório definitivamente é um personagem. Sem tanto tempo de TV, promete que vai dançar muito, pular e dar cambalhota para atrair atenção dos soteropolitanos. Ele não se intimida e confia que, um dia, – se o seu Deus quiser – assim como aconteceu com Rui Costa, seja apadrinhado por um figurão como o senador Jaques Wagner, e passe de candidato pitoresco a concorrente real ao Executivo da capital baiana.

 

Assista:

 

Bnews

OUTRAS NOTÍCIAS