“Não tenho como saber o que acontece nos ministérios”, diz Bolsonaro

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou, nesta 2ª feira (28.jun), sobre o caso da vacina indiana Covaxin e disse não ter “como saber o que acontece nos ministérios”. A declaração foi dada a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

“Aqui vem tudo quanto é tipo de gente. Não posso falar: ‘Você é deputado aqui, deixa eu ver sua ficha’. Deveria receber pouca gente, eu recebo todo mundo. Ele apresentou, eu nem sabia da tratativa da ‘vaxin’. São 22 ministérios. só o Ministério do Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) tem mais de 20 mil obras. Do Tarcísio (Infraestrutra) não sei. Da Damares (Mulher, Família e Direitos Humanos), da Justiça, da Educação… Então eu não tenho como saber o que acontece nos ministérios. Vou na confiança do ministro, e nada fizemos de errado”, afirmou o presidente.

Na semana passada, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) disse ter procurado Bolsonaro para apresentar uma denúncia de seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, de supostas irregularidades no contrato de compra da vacina indiana covaxin.

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, na 6ª feira (25.jun), o parlamentar declarou que, na conversa, o presidente teria dito que o deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, estaria interessado em concluir o contrato.

A conversa entre os dois teria ocorrido após Luis Miranda pedir uma agenda com o presidente para alertá-lo sobre supostas fraudes. De acordo com o deputado, trechos dos documentos referentes à aquisição só foram alterados após seu irmão, Luís Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, se recusar a assiná-los.

O Ministério da Saúde e Ricardo Barros negam qualquer irregularidade.

Fonte- SBT News – foto Marcos Corrêa/PR

OUTRAS NOTÍCIAS