Versículo do dia
Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que te invocam.

Nutricionista do HCOR dá dicas para estimular hábitos saudáveis em crianças

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

3198715598-alimentacaoNo próximo dia 12 de outubro é comemorado o Dia das Crianças. Nesta data, os pequenos têm o privilégio de curtir brincadeiras em diversos passeios pela cidade, mas sem descuidar da alimentação. Refeições leves e saudáveis garantem a diversão, mas existe uma grande dificuldade das mães em unir praticidade com qualidade, e fazer com que os filhos aceitem o que é servido.

 

Pratos coloridos e divertidos podem ser uma alternativa para os pais na hora de servir as refeições para as crianças. Principalmente para aquelas que relutam em comer verduras e frutas, alimentos ricos em vitaminas e minerais. O hábito alimentar das crianças é formado nos primeiros anos de vida.

 

O período da primeira infância é o momento em que o visual da alimentação é de suma importância. Quanto mais estímulos uma atividade possui, seja cores, formas e sabores, melhor para os pequenos. Os pratos bem coloridos e divertidos são uma aposta incrível que pode transformar a hora das refeições.

 

Ingredientes saudáveis devem estar dentro dos pratos sempre. Por isso, o ideal é abusar da criatividade. Evite misturar uma variedade grande de alimentos, para não gerar confusão no paladar da criança. Seja para o lanche com frutas ou para as refeições principais com legumes e cereais. Montar um prato colorido e criativo vai conquistar os pequenos.

 

De acordo com a Gerente de Gastronomia do HCor – Hospital do Coração, Juliana Simões, a alimentação é um dos requisitos essenciais para um crescimento contínuo e para a vida saudável de uma criança. Essa etapa inicia-se a partir da amamentação do recém-nascido e continua na introdução de novos alimentos, que normalmente se dá a partir dos seis meses. Neste momento, os pais devem ter disciplina na oferta de alimentos, pois a formação do hábito alimentar se dá nos primeiros anos de vida.

 

“A criança deve ser apresentada a uma grande diversidade de alimentos e preparações, priorizando os de boa qualidade nutricional como frutas, legumes, verduras e carnes magras. Neste momento não se deve oferecer alimentos industrializados ou ultra processados, pois estes irão prejudicar a introdução de alimentos saudáveis”, esclarece Juliana Simões.

 

Incentivo e bons exemplos:

 

É importante que a alimentação seja associada a um momento de prazer e não um momento frustrante de obrigação. A maneira de apresentar os alimentos deve ser de modo tranquilo e calmo, sem perder a paciência, seguindo um horário controlado e um cardápio equilibrado.

 

Todos esses elementos combinados irão proporcionar um excelente rendimento para a maturidade física e psicológica da criança. “Desde cedo, a criança deve ser incentivada a beber bastante água e evitar o consumo de alimentos como salgadinhos, doces e refrigerantes. A comida não deve ser oferecida a criança como um prêmio, castigo ou objeto de negociação”, pondera.

 

O ambiente da refeição deve ser tranquilo, sem TV, música e muito menos gritaria. Deixe as conversas sérias e broncas para depois. Todas as refeições (lanches inclusive) devem ser feitas à mesa. Sempre que possível, faça pelo menos uma das refeições principais com seus filhos. Se o horário de trabalho for muito complicado, tente estabelecer um dia da semana para isso, como rotina.

 

“Leve as crianças para a cozinha. Quando elas mesmas preparam os alimentos, certamente vão querer provar o que fizeram. É uma experiência lúdica, prazerosa, como deve ser a relação com a comida. Ir à feira com as crianças é um jeito divertido de apresentá-las ao mundo das frutas e verduras”, finaliza Juliana Simões, do HCor.

 

Abuse da criatividade:

 

Coloque os alimentos que compõem a refeição separadamente no prato ou em cumbucas individuais. Eles devem ter cores e texturas diferentes. Deixe a criança se servir sozinha e provar cada uma das diferentes porções:

 

Para deixar a salada mais atraente, espalhe sobre as folhas croutons, batata-palha, ovo cozido picado, pedaços de frutas amarelas e vermelhas como manga ou morango;

 

Faça desenhos em cima do purê de batata. Nada complicado: pode ser um círculo ou uma espiral com ervilhas frescas ou congeladas. Não use as enlatadas;

 

Outra ideia é espetar flores de brócolis japonês cozidas al dente sobre o purê. Fica mais gostoso quando é a própria criança quem faz a decoração de seu prato;

 

Cremes ou pastas de vegetais servidos sobre torradas, frutas e legumes no espetinho também são maneiras simples de valorizar o visual da comida;

 

Espante o tédio da mesa variando o preparo de cada alimento: um dia sirva cru, outro em forma de bolinhos ou refogado, cortado em rodelas, ralado etc;

 

Brincar com a apresentação do prato não significa esconder algum tipo de alimento. Chuchu é chuchu, tomate é tomate, mesmo que eles sejam, por exemplo, apresentados em forma de flor.

 

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE ASSESSORIA DE IMPRENSA DO HCOR – HOSPITAL DO CORAÇÃO

OUTRAS NOTÍCIAS