Versículo do dia
Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.

O que acontece com quem carrega uma Bíblia na Arábia Saudita

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

igreja perseguida - Cópia4Circula no Facebook a imagem de uma pessoa com os dedos cortados e a legenda diz que se trata da punição para quem possuir uma Bíblia na Arábia Saudita.
A imagem não é nova e vem sendo usada desde 2013, na tradução de um artigo do site The Muslim Issue. Em português, imagem e texto foram compartilhados milhares de vezes nas redes sociais. Algumas versões pedem orações pelos cristãos perseguidos. Contudo, como mostra o site Boatos, a informação não é verdadeira.

 

A imagem na verdade é de um acidente de escritório com uma daquelas máquinas de triturar papel.

 

A verdade, infelizmente, é muito pior. Relatórios de organizações de direitos humanos confirmam que na Arábia Saudita a lei impõe a pena de morte a qualquer pessoa que carregue Bíblias ou distribua materiais religiosos que não sejam muçulmanos.

 

“A nova lei inclui a importação de todas as drogas ilegais e ‘todas as publicações que tragam prejuízo às crenças religiosas do Islã’”, denunciou a Sociedade Missionária HeartCry, liderada pelo pastor Paul Washer. “Em outras palavras, qualquer um que tenta levar Bíblias ou literatura evangélica para o país terá todo material confiscado, será preso e condenado à morte.”

 

O pastor aponta para a percepção dos sauditas que Bíblias e material cristão são comparados a drogas ilícitas e as chamadas “publicações indecentes” (pornografia).
Repórteres tentaram confirmar a informação com a Embaixada Arábia Saudita nos EUA em Washington, mas ninguém quis confirmar. Tampouco negaram que seja verdade. A ONU também se recusou a comentar sobre o caso.

 

A HeartCry lembra que a Arábia Saudita tem uma longa história de hostilidade para com os cristãos. Sempre foi ilegal alguém se converter ao cristianismo no país, um crime considerado apostasia contra o Islã e punível com a morte.

 

Washer enfatiza: “Há casos de cristãos sendo sequestrados, assassinados e sofrendo violência física regularmente. Um saudita que aceita Cristo como seu Salvador sabe que corre o risco de perder o emprego, o acesso à educação para os seus filhos, ou até mesmo o direito de ter água e eletricidade em casa”.

 

Embora a lei seja para os cidadãos do país, existem milhares de imigrantes cristãos que vivem ali e centenas deles já foram detidos e expulsos do país por não professarem sua fé no profeta Maomé.
A Missão Portas Abertas afirma que, existe uma pequenina comunidade cristã subterrânea no país e que muitos têm se convertido por meio da internet e de programas de televisão via satélite.
Segundo o relatório anual Portas Abertas, a Arábia Saudita é o sexto pais com maior perseguição aos cristãos. Foi lá que nasceu e está enterrado Maomé. Todo muçulmano fiel deve fazer uma vez na vida a peregrinação para Meca, que fica na Arábia.

 

Com informações de Christian News

OUTRAS NOTÍCIAS