Versículo do dia
Pois, se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?

Pai aos 14, sertanejo Marcos, da dupla com Belutti, conta que foi expulso da igreja por pecar

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

O cantor Leonardo Prado de Souza, conhecido pelo nome artístico Marcos, da dupla sertaneja com Belutti, revelou que sua experiência religiosa é marcada por um episódio de severidade por parte da igreja.

 

Em uma entrevista concedida à revista Veja, Marcos contou que foi pai aos 14 anos, e que nessa época era membro de uma igreja Batista, tradicional, e que a postura da denominação diante do pecado de ter praticado sexo fora do casamento era de expulsa-lo.

 

“Eu frequentava uma igreja Batista tradicional, em que existia uma assembleia que podia excluir e aceitar membros. Faltando uma semana para essa assembleia, o pastor – que era muito amigo meu – me avisou que eu seria excluído do hall de membros. Eu poderia continuar frequentando a igreja, mas não poderia mais cantar lá, nem fazer parte de nenhum ministério”, relembrou.

 

A única forma de evitar a expulsão, de acordo com o cantor, seria pedir pra sair antes: “Quando ele me avisou, já me aconselhou a fazer uma carta de exclusão para eu não ser expulso. Na época, minha frequência na igreja diminuiu, mas hoje ou faço parte dos membros de novo”, contou, aliviado.

 

Segundo o cantor, mesmo sendo uma medida drástica, apesar de comum, o episódio trouxe lições que carrega consigo até hoje: “Fui criado desse jeito, então eu passei por essa ‘humilhação’, pelo erro que cometi, mas hoje está tudo bem. Agradeço a Deus pelo o que passei. Tudo isso ajudou a construir quem eu sou hoje”, minimizou.

A “expulsão” de membros que “caem em pecado” ainda é muito comum no meio evangélico brasileiro, mas essa medida, controversa, vem sendo cada vez mais questionada e muitas denominações, compreendendo que quando um membro fraqueja precisa de acompanhamento, já adotam posturas alternativas, evitando a “humilhação” citada por Marcos.

 

GOSPEL +

OUTRAS NOTÍCIAS