Versículo do dia
Então, me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei.

Papa Francisco diz que é favorável à união civil entre pessoas de mesmo sexo

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

SÃO PAULO, 21 OUT (ANSA) – No documentário “Francesco”, exibido em uma sessão especial do Festival de Cinema de Roma nesta quarta-feira (21), o papa Francisco defende que os países tenham leis que permitam a união civil de pessoas do mesmo sexo, informou a Catholic News Agency.

“Homossexuais têm o direito de ser parte de uma família. Eles são filhos de Deus e tem o direito a uma família. Ninguém deve ser expulso, ou se tornar miserável por causa disso. O que é preciso criar é a lei de união civil. Assim, eles são protegidos legalmente. Eu apoio isso”, diz o líder católico.

Além disso, o documentário também tem um depoimento de um homem italiano que conta que Mario Jorge Bergoglio o encorajou, junto com seu companheiro, a criar os filhos no ambiente da igreja onde vivia porque isso beneficiava as crianças.

A fala do Pontífice contradiz a postura adotada pela Igreja Católica e pelos últimos Papas ao longo dos anos, e é a primeira amplamente clara sobre a opinião do líder católico na união civil.

Em 2003, sob a liderança do cardeal Joseph Ratzinger – que depois se tornou o papa Bento XVI – e a ordem de João Paulo II, o Congresso Vaticano para a Doutrina da Fé publicou um documento em que dizia que “o respeito pelas pessoas homossexuais não pode levar, de nenhuma maneira, à aprovação do comportamento homossexual ou o reconhecimento legal das uniões homossexuais”.

“O bem comum exige que as leis reconheçam, promova e protejam o casamento como a base da família, unidade primária da sociedade”, diz o texto final recordado pela agência católica.

No entanto, desde que assumiu a função de chefe da Igreja em 2013, o Pontífice vem adotando uma postura de “adoção” dos homossexuais na vida religiosa, dizendo que não poderia “julgá-los” e que “ser gay não é pecado”. Isso lhe rendeu inúmeras críticas da parte mais conservadora da Igreja Católica, onde muitos acusam o argentino de ser “herege”.

Cabe ressaltar que, em mais de uma vez, Francisco afirmou que o casamento – como sacramento católico – é apenas entre homem e mulher. Porém, ele defende uma maior integração tanto dos homossexuais como de divorciados na vida da Igreja.

O documentário, ainda segundo a Catholic News Agency, aborda outros temas caros a Francisco, como a questão dos migrantes e dos marginalizados.

Fonte: ANSA

OUTRAS NOTÍCIAS