Versículo do dia
Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.

Para Eli Ribeiro, bancada evangélica da Casa merece mais atenção

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

DSC_0052-630x300Após ouvir atentamente o pronunciamento do líder do Governo na Casa, vereador José Carneiro Rocha (PSL), em relação a não participação de bandas gospel na Expofeira 2015, o edil e também evangélico, Eli Ribeiro (PRB), em discurso na sessão legislativa desta terça-feira (01), criticou a decisão do Governo Municipal por entender que os vereadores evangélicos mereciam uma explicação a respeito da decisão.

 

“Ouvindo o líder do Governo afirmar que ter bandas evangélicas na Expofeira é tão antagônico quanto ter a banda Chiclete com Banana na Marcha para Jesus, quero dizer que não tem nada a ver. Acho que isso é uma discriminação e acredito que o prefeito poderia, pelo menos, ter conversado com a bancada evangélica desta Casa para explicar o motivo de ter retirado o ‘Momento Gospel’ da Expofeira 2015. Se na Expofeira tem bandas para todos os públicos, por que não tem para os evangélicos? Acho que o ‘Momento Gospel’ deve ser mantido”, pontua Eli.

 

Em aparte, o vereador Isaías de Diogo (PPS) também diz não entender o motivo pelo qual os vereadores evangélicos não foram procurados e informados da retirada do “Momento Gospel” no evento. “Nós precisávamos ser informados da retirada do ‘Momento’ e termos uma explicação para passarmos isso às pessoas que nos cobram. Espero que antes da Expofeira, o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Rafael Cordeiro, nos procure e nos dê uma satisfação”, anseia.

 

Também em aparte, o líder governista afirmou que o Governo Municipal tem prestigiado, diversas vezes, o público gospel. “É preciso observar o quanto este Governo tem prestigiado o público gospel com frequente contratação de bandas evangélicas”.

 

Na sequência, o edil Edvaldo Lima (PP) revelou que durante os anos de 2013, 2014 e 2015 fez várias indicações ao Governo Municipal, em relação à contratação de bandas evangélicas, mas nenhuma foi atendida. “Acredito que os evangélicos da base do Governo devem conversar sobre isso com o prefeito”, sugere.

 

De volta com a palavra, Eli Ribeiro afirmou que a bancada evangélica da Casa deve ser respeitada e que pretende ouvir justificativas sobre a retirada do “Momento Gospel” da Expofeira 2015. “Nesta Casa há nove vereadores evangélicos e merecemos respeito. O secretário ou o prefeito deveria ter nos informado sobre essa decisão. Não sei se na próxima legislatura teremos a mesma quantidade de evangélicos. Acredito que a união faz a força e fica aqui minha indignação por não termos sido consultados”, finalizou.

OUTRAS NOTÍCIAS