Versículo do dia
Pelo que exortai-vos uns aos outros e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis.

Pastor comenta declaração do papa sobre o “fracasso” de Jesus na cruz: “Vitória de Deus”

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

download (5)Uma declaração do papa Francisco, apontando para um “fracasso” humano de Jesus ao morrer na cruz gerou inúmeras polêmicas no meio evangélico, que apontou a fala do líder católico como uma heresia.

 

Em sua visita aos Estados Unidos, Francisco discursou sobre diversos temas, e dentre eles, falou sobre os fracassos que podem trazer desânimo aos cristãos em sua obrigação evangelística e aparentar que a propagação do Evangelho é ineficiente.

 

“Foi-nos confiada uma grande responsabilidade e o povo de Deus, justamente, espera resultados. Mas o verdadeiro valor do nosso apostolado é medido pelo valor que o mesmo tem aos olhos de Deus. Ver e avaliar as coisas a partir da perspectiva de Deus chama-nos para uma conversão constante ao primeiro tempo da nossa vocação e – nem é preciso dizê-lo – a uma grande humildade”, disse o papa.

 

Nesse contexto, Francisco afirmou que a crucificação de Jesus, embora concluísse com perfeição o plano divino, representava o fracasso de uma vida humana, que terminou com a injusta condenação de um homem sem máculas.

 

“A cruz mostra-nos uma maneira diferente de medir o sucesso: a nós cabe-nos semear, e Deus vê os frutos do nosso trabalho. E se, às vezes, os nossos esforços e o nosso trabalho parecem gorar-se e não dar fruto, estamos a trilhar a mesma via de Jesus Cristo; a sua vida, humanamente falando, acabou com um fracasso: o fracasso da cruz”, disse, reiterando que mesmo um aparente fracasso para aqueles que foram contemporâneos de Jesus, resultou no milagre da salvação.

 

O pontífice ainda foi além e disse que os que se sentirem “fracassados” em suas missões devem olhar para Jesus e ver que, o que humanamente pode ser interpretado como fracasso, pode ser, na verdade, um sucesso sob a perspectiva divina.

 

Em meio à polêmica gerada pela exposição do papa nessa questão, muitos evangélicos fizeram uma interpretação mais literal e primária do termo usado pelo líder católico, e se apressaram em críticas.

 

No entanto, o reverendo Hermes C. Fernandes seguiu a contramão das críticas e publicou um comentário sobre o episódio, apresentando outros vieses do “fracasso” humano de Jesus na cruz.

 

“Sim, Jesus fracassou na cruz. Para a turma dos ‘hosanas’, que esperava que Ele desse um golpe de Estado e assumisse o poder na marra, a cruz foi um grande fiasco. Para os discípulos que apostaram as últimas fichas de que Ele restauraria o trono de Davi naqueles dias, a cruz foi um vexame. E até hoje, para quem faz do evangelho um meio de enriquecimento, a cruz é, no mínimo, um constrangimento. Mas como Deus jamais perde a mania de subverter as coisas, assim como a Sua loucura é mais sábia que a sabedoria humana, e a Sua fraqueza mais forte que o poder de que nos gabamos, assim também, o aparente fracasso da cruz nada mais é do que a Sua retumbante vitória. Foi o fracasso da agenda humana, mas a vitória da agenda de Deus”, comentou.

 

Concluindo seu raciocínio a respeito do que a cruz representa em seu sentido mais relevante para quem crê em Jesus Cristo, o reverendo destacou a graça redentora que fluiu daquele sacrifício: “Foi lá que Ele destituiu os principados e potestades, ridicularizando sua presunção. Foi lá que Ele revelou as nossas misérias e ao mesmo tempo a Sua misericórdia. Foi lá que Ele arcou com nossa impagável dívida e expressou de maneira mais eloquente o Seu imenso amor pela criação. Sua vitória não se deu na ressurreição, como alguns imaginam, mas em Sua morte. A ressurreição foi o pódio de onde Sua vitória foi anunciada”, finalizou.

 

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS