Pastor é morto a tiros após se negar a pagar R$ 10 por conserto de energia; outra pessoa morreu e quatro ficaram feridas, diz PM

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Um pastor que se envolveu em uma confusão por conta de uma ligação ilegal de energia que deixou de funcionar e se recusou a pagar a módica quantia de R$ 10 pelo conserto, morreu baleado. O crime revoltou moradores, que incendiou a casa de um dos suspeitos do disparo.

Um caso insólito registrado na cidade de Palmas, região sul do Paraná, resultou na morte de duas pessoas, incluindo um pastor evangélico. A Polícia Militar atendeu a ocorrência e agora o caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Na última sexta-feira, 21 de janeiro, um “gato” de energia elétrica, que era usado pelo pastor na igreja e em sua casa, anexa ao templo, parou de funcionar. Ele procurou um vizinho para pedir que ele fizesse o reparo.

O homem procurado pelo pastor disse que cobraria R$ 10 pelo serviço, mas o pastor se recusou a fazer o pagamento. Diante da negativa, começou uma briga entre o pastor e o vizinho, e outras pessoas intervieram.

Minutos depois, o vizinho retornou à igreja acompanhado de dois irmãos, armados, que abriram fogo contra quatro homens que estavam no local e haviam ajudado a encerrar a confusão.

As pessoas baleadas tinham idades de 21, 22, 25 e 32 anos, sendo que o de 25 anos morreu no local. Um dos irmãos que abriram fogo também foi baleado no abdômen, e foi preso no hospital quando procurou por atendimento.

Quando a confusão parecia encerrada, quatro homens encapuzados foram novamente à igreja na madrugada de sábado, 22 de janeiro. O pastor saiu de sua casa para ver o que estava ocorrendo e foi executado com mais de 10 tiros, de acordo com informações do portal G1.

O pastor não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Segundo a PM, os vizinhos do pastor se revoltaram com o crime e incendiaram a casa de um dos suspeitos de matar o líder evangélico da comunidade.

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS