Pastor suspeito de estuprar meninas da igreja praticou abusos durante estudos bíblicos; polícia identificou 8 vítimas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Um pastor de 43 anos foi preso em Manaus suspeito de ter estuprado duas meninas, de 9 e 13 anos. Os crimes aconteceram em 2019 e o mandado de prisão foi cumprido na manhã desta sexta-feira (3). De acordo com a Polícia Civil, ele já fez, pelo menos, oito menores de idades vítimas de estupro ou importunação sexual e mais casos são investigados.

Todas as crianças e adolescentes que já foram identificados como vítimas frequentavam a igreja presidida por ele, no bairro Cidade de Deus, na Zona Norte de Manaus. Segundo a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), o pastor já havia sido condenado por estupro de vulnerável antes.

Desta vez as investigações começaram em maio, quando uma criança de 9 anos de idade relatou ao pai que meses atrás, ainda em 2019, havia sido vítima do pastor dentro da própria casa.

A criança contou que foi deixada sozinha em casa por alguns minutos, enquanto a mãe saiu para ir ao mercado. O pastor pediu para entrar na casa e a menina, que sentiu que o pastor não oferecia riscos, abriu a porta e o deixou entrar.

“O boletim de ocorrência relata atos libidinosos cometidos pelo pastor da igreja. Ela estava sozinha em casa e deixou o homem entrar. Foi nesse momento que ele cometeu o estupro. Esse fato aconteceu em 2019, mas a criança só relatou ao pai em maio deste ano”, explicou a delegada Joyce Coelho, da Depca.

Após a denúncia, outra adolescente de 13 anos relatou que era convidada pra fazer estudos bíblicos na casa do homem. Segundo a polícia, quando ficava sozinha com o pastor, os atos eram cometidos.

“Ela era próxima das filhas do pastor. E, por isso, frequentava a casa dele com frequência para realizar estudos bíblicos junto com as filhas dele. Porém, quando ele encontrava uma oportunidade de ficar sozinho com a vítima, passava as mãos nas partes e no corpo da adolescente. Ela achou estranho e relatou aos pais”, contou.

A mãe dessa adolescente relatou que o pastor já tinha um histórico desse tipo de abuso. A partir disso, a Depca fez um levantamento e constatou que já havia um procedimento aberto em 2015, de outras duas adolescentes com relatos semelhantes, pelos quais ele foi condenado a 15 anos de reclusão por estupro de vulnerável. O processo está em recurso.

Pastor se despede em vídeo
O pastor foi interrogado e nega as acusações. Ainda assim, no início deste mês, ele publicou um vídeo nas redes sociais comunicando o afastamento do cargo e se despedindo de membros da igreja. Nas imagens, ele pediu perdão por “erros cometidos no passado”.

A polícia entendeu como uma tentativa de fuga e expediu o mandado de prisão.

Ele foi preso em casa, indiciado por estupro e será levado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT).

G1

OUTRAS NOTÍCIAS