Versículo do dia
Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da que está grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas.

Pesquisa aponta que a música gospel é a preferida entre as classes sociais com menor renda

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

thalles-roberto-danca-com-microfoneA música gospel foi apontada como o “estilo” musical mais popular entre as classes D e E, de acordo com pesquisa realizada pelo instituto Datafolha.

 

O levantamento, realizado no estado de São Paulo sob encomenda da empresa JLeiva Cultura & Esporte, e com apoio da Secretaria Estadual de Cultura e do Serviço Social do Comércio (SESC-SP), ouviu 8 mil pessoas, em 21 municípios.

 

Com o objetivo de entender o gosto musical das pessoas, a pesquisa elencou diversas opções de estilo, como sertanejo, rock, samba, música popular brasileira (MPB), entre outros. Dentre as pessoas de menor renda, o gospel foi escolhido por 25%, contra 13% da MPB e 7% do rock.

 

Em compensação, o estilo musical religioso, que abriga diversos sub-estilos, não é muito ouvido pelas pessoas com maior renda. Entre o público das classes A e B, o gospel foi apontado como preferido por apenas 13%, atrás da MPB, com 33%, e o rock, com 28%.

 

No quadro geral, que reúne todas as classes sociais, a música gospel foi escolhida por 18% dos entrevistados, ficando atrás do rock, 21%, MPB, 26%, e o sertanejo, escolhido por 44% dos entrevistados.

 

Se os dados da pesquisa forem olhados a partir da questão da escolaridade, a música gospel perde espaço. Apenas 11% dos entrevistados com nível Superior de formação disseram ouvir as canções religiosas. O número cresce na faixa menos escolarizada: 19% dos que tinham apenas o Ensino Fundamental disseram preferir o gospel.

 

O segundo melhor desempenho da música que fala sobre a fé cristã aconteceu no corte dos dados por idade, entre o público jovem e adulto. 21% dos entrevistados entre 25 e 34 anos disseram ouvir gospel, e a mesma percentagem entre a faixa dos 35 a 44 anos.

 

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS