Pessoas com suspeita de chikungunya devem se dirigir às unidades de saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

8102014143218Na busca por informações e resultados de exames laboratoriais, moradores dos bairros que registram grande número de notificações da febre chikungunya têm ido, diariamente, até a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Lá se dirigem à Divisão de Vigilância Epidemiológica (Viep). Contudo, a recomendação é que devam buscar as unidades de saúde para serem atendidas e avaliadas.
“A porta de entrada para os pacientes é na Atenção Básica – PSF e UBS. Contudo, aquelas que chegam aqui não saem sem a devida orientação”, afirma a enfermeira da Viep, Tacyane Cardoso. A secretária Denise Mascarenhas reforça que as pessoas procurem as unidades de saúde.Ela diz que o tratamento tanto para dengue quanto para febre chikungunya é clínico. Salienta que o paciente, a depender da sintomatologia, poderá ser encaminhado ao infectologista da SMS.

 

 

Na manhã desta quarta-feira, 8, três funcionários dos Correios, que integram a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, foram recebidos por uma enfermeira. Solicitaram dados sobre a doença, como se transmite, os sintomas e os bairros mais afetados.

 

 

As informações serão repassadas aos colegas, sobretudo, aqueles que atuam no George Américo, Campo Limpo e Morada das Árvores. “Vamos cobrar da empresa material de prevenção, a exemplo de repelentes”, disse José Marcos Bastos. Ele disse que também poderão contribuir no combate ao mosquito aedes aegypti conscientizando a comunidade. “É uma luta que deve envolver a participação de todos”, considerou.

 

 

O autônomo Roberto Liberato, 60, morador do Campo Limpo, esteve na Viep para buscar os exames laboratoriais da esposa. Mostrando bastante preocupado com a saúde dela, uma vez que, ainda se queixa de fortes dores nas articulações, pediu ajuda. “Ela não consegue apalpar nada de tanta dor. E ainda tem alergia e não pode tomar qualquer medicação”. Ele foi orientado a levá-la nesta quinta-feira, 9, na SMS, para que seja reavaliada pela infectologista.

 

 

762 casos suspeitos

 

A SMS notificou 762 casos suspeitos da febre chikungunya, entre os dias 6 de julho a 4 de outubro, em 54 localidades do município. Destes, 19 foram confirmados em laboratório e 137 por critério clínico. Outros 21 foram descartados e 585 continuam em investigação.

 

 

O conjunto George Américo apresentou 380 (49,86%) notificações, seguido pelo bairro Campo Limpo com 113 (14,82%), Sítio Novo com 36 (4,72%), povoado Rio do Peixe (Distrito de Jaguara) com 31 (4,06%), Cidade Nova com 20 (2,62%), Sobradinho com 18 (2,36%) e Pampalona foram 10 (1,31%) notificações.

 

OUTRAS NOTÍCIAS