Versículo do dia
E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede.

Polêmico, Pastor Eduardo Reis Afirma Que “Quem Não Ceia, Não Pode Ser Arrebatado”

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Uma mensagem do pastor Eduardo Reis sobre o sacrifício na cruz e a importância da ceia memorial vem circulando nas redes sociais com uma declaração sobre como a participação nessa celebração ordenada por Jesus é pré-requisito para ser arrebatado.

 

“Quem não ceia, não pode ser arrebatado. Isso é doutrina, vai de Gênesis até Apocalipse. Eu te provo por A + B, de trás para frente, de frente para trás. Porque se alguém que não ceia for arrebatado, quebrou toda doutrina da Bíblia”, afirma o pastor, durante pregação na Conferência de Inteligência Bíblia de 2015.

 

O contexto criado por Eduardo Reis na pregação envolve uma ponte com passagens do Velho Testamento, e uma comparação entre o sacrifício de Jesus na cruz com os rituais de sacrifícios feitos pelos hebreus na época de maior proximidade entre o povo e Deus.

 

“Deus deu o holocausto, Deus deu o sacrifício. Só que o sacrifício Ele não entregou, levou para Ele, porque o cordeiro foi morto, mas assunto ao céu. Deus matou um cordeiro por você, como sacrifício do pecado. Só não te entregou”, afirma o pastor.

 

De acordo com a leitura de Reis, “é por isso que nós temos que ficar oferecendo os manjares, porque quando você oferece um manjar, você anuncia que um sacrifício será entregue”.

 

A pregação aprofunda o raciocínio até lembrar a última reunião de Jesus com seus discípulos antes da traição de Judas: “Quando eu ofereço um holocausto, eu anuncio os manjares; quando eu ofereço os manjares, anuncio o sacrifício. Por isso que ele diz ‘fazei isso em memória de mim até que eu venha’. Não é pra você ficar lembrando da morte, ficar chorando, não é para isso. É para você fazer isso lembrando que um sacrifício vai ser entregue”.

 

Eduardo Reis frisa que a ceia memorial tem função de levar ao conhecimento público que um sacrifício foi feito: “‘Dessa maneira anunciais a morte’. Anunciar fala de futuro. Você não lembra a morte, você anuncia. O cordeiro será entregue. Mas Deus não pode entregar o cordeiro para quem não tem manjares”.

 

Segundo o pastor, a ceia se estabelece como uma espécie de passaporte para o arrebatamento: “Qual é o dia da entrega do cordeiro? As bodas. Nas bodas, diz o texto, ‘nós assentaremos, e Deus nos entregará o cordeiro do sacrifício’. Quem não ceia, não pode ser arrebatado. […] Para que você và para mesa do cordeiro para receber o sacrifício, você precisa oferecer manjares”, diz.

 

Embora o vídeo com a interpretação do pastor Eduardo Reis venha sendo muito compartilhada nas redes sociais, há internautas observando que a pregação estabelece uma ligação com o judaísmo, incentivando a ritualização do Evangelho, desconsiderando que o sacrifício de Jesus “rasgou o véu”.

 

GOSPEL+

OUTRAS NOTÍCIAS