Policiais federais não descartam paralisações e greves por reajuste

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Contrários ao reajuste salarial linear para todos os servidores, policiais federais apertam o cerco contra o governo federal e prometem protestos em diferentes estados do país na próxima 5ª feira (28.abr). Os agentes pressionam a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL) para cumprir a promessa de reajuste salarial feita ainda em 2021. No Orçamento de 2022, foram definidos R$ 1,7 bi do Orçamento de 2022 para a reestruturação de carreiras da área de segurança pública.

Neste momento, os policias vão manter os serviços prestados em pleno funcionamento. No entanto, de acordo com a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), maior entidade representativa da categoria, com cerca de 14 mil filiados, o estado é de atenção e, a qualquer momento, pode haver a convocação de uma greve ou paralisação.

Nos próximos dias, sindicatos da categoria vão convocar assembleias nos estados para definir as futuras manifestações.

A expectativa era de uma sinalização positiva do Palácio do Planalto durante a reunião sindical com o ministro da Justiça, Anderson Torres, e os deputados da base governista Sanderson (PL-RS), Aluísio Mendes (PSC-MA), Jorielson (PL-AP) e José Medeiros (PL-MT), na tarde de 2ª feira (18.abr). Porém, de acordo com nota pública divulgada após o encontro, o governo não cumpriu a promessa feita ainda durante as eleições de valorizar os profissionais de segurança pública. “O ministro manifestou-se no sentido de que ainda não havia uma decisão oficial e os deputados federais presentes se comprometeram a se reunirem com o presidente Jair Bolsonaro em busca de uma solução definitiva”, apontou a nota.

Fonte SBT/ foto divulgação/Polícia Federal

OUTRAS NOTÍCIAS