Versículo do dia
Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso, o mundo não nos conhece, porque não conhece a ele.

Prefeito veta projeto que reconhecia atividades religiosas como essenciais: o político é pastor da Igreja Universal

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Rogério Cruz, prefeito de Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O prefeito Rogério Cruz (Republicanos), vetou um projeto de lei que reconhecia as atividades religiosas como essenciais em Goiânia. O projeto do vereador Dr. Giancarlo Said (MDB), permitia o funcionamento de igrejas mesmo “em tempos de crises ocasionadas por moléstias contagiosas ou catástrofes naturais”. Chefe do Poder Executivo justificou

O veto foi publicado no Diário Oficial na tarde de quarta-feira (3), o prefeito, que é pastor licenciado da Igreja Universal, argumentou que “a espiritualidade tende a ser um recurso importante para muitas famílias, podendo contribuir no enfrentamento aos desafios da vida, na adaptação e na resiliência às perdas”. No entanto, ele disse que não há normas estaduais e federais que autorizem a abertura dos templos em meio à pandemia.

O prefeito justificou também que as normas propostas no texto colocavam “restrição às atribuições do Poder Executivo”, e que tal medida não encontra amparo na ordem constitucional brasileira.

A Prefeitura de Goiânia decretou no último sábado (27) o fechamento do comércio não essencial. As medidas de restrições são para conter a contaminação da Covid-19 e diminuir a taxa de ocupação dos leitos de UTI.

Informações do G1

OUTRAS NOTÍCIAS