Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 28/11/2018

Presidente do Vitória, Ricardo David, descarta renunciar

O rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro intensificou a agitação nos bastidores políticos do Vitória. Eleito no fim do último ano para um mandato tampão, o presidente Ricardo David se tornou um dos principais alvos das críticas provocadas pelo fracasso na temporada. Os mais exaltados chegaram a pedir a renúncia do dirigente, que concedeu coletiva na tarde da última terça-feira e descartou qualquer possibilidade de deixar o clube antes de dezembro de 2019, quando haverá nova eleição no clube.

– Fui eleito democraticamente. É uma regra do jogo. Estou inserido nessa regra, fui eleito democraticamente. Como todo gestor, erro e acerto. Tenho erros, mas acertos também. Não é à toa que tenho uma coluna vinda da base. Veja ano passado. O elenco que encontrei. Quantos jogadores da base estavam preparados para jogar? Você vai lembrar um ou dois. Hoje tenho quase um time para começar o baiano de forma competitiva. O torcedor está na razão dele. Não está fora do contexto. Mas temos regras democráticas. Estou querendo a oportunidade que outros dirigentes tiveram. Outros levaram o clube para a Série B e são vistos como grandes dirigentes. Tiveram a oportunidade de aprender e dar a volta por cima. A gente também aprende.

Ricardo David é o sexto presidente do Vitória desde 2013. Nos últimos cinco anos, Alexi Portela, Carlos Falcão, Raimundo Viana, Ivã de Almeida e Agenor Gordilho dirigiram o clube. O atual mandatário avaliou que uma nova mudança não seria benéfica.

Segundo David, um novo presidente precisaria conhecer a agremiação em todos os seus detalhes, o que demandaria tempo. Assim, o novo cartola assumiu que cometeu erros e pediu uma chance de se redimir no comando do Rubro-Negro.

-Eu diria que será muito mais difícil chegar alguém novo hoje que não conhece exatamente como está a situação. Eu tomo por mim no ano passado. Cheguei, não sabia a situação, demorei quase um mês para identificar tudo. É muita coisa informal. Levamos um tempo para entender. Você retarda o que tem que fazer. Eu diria que somos as pessoas mais adequadas, hoje somos quem mais entende o Vitória. A gente aprende com alguns erros. Quando você aprende, a possibilidade é de errar menos. Vamos errar, somos humanos. Mas a maior probabilidade é de errar menos. Renúncia não está no meu currículo. Sempre enfrentei desafios. Fui eleito democraticamente, me adequei a esse regime. Quem quiser assumir a presidência, que se adeque também. Não podemos mais submeter o clube a essa instabilidade. É impossível ter quatro presidentes no mandato que era para um só. Sei que o torcedor está insatisfeito. Tem razão para isso. Mas agora é ter confiança, acreditar que aprendemos. Erramos, aprendemos, conhecemos o Vitória como ninguém hoje. Somos aptos a tirar o Vitória dessa situação – concluiu.

Além de descartar uma renúncia, Ricardo David anunciou durante a coletiva a liberação de sete jogadores com contrato até dezembro deste ano. O grupo não faz parte dos planos para 2019. O presidente também revelou que o diretor de futebol, Jorge Macedo, permanece para a próxima temporada, enquanto o técnico João Burse, que comandou o time na reta final da Série A, retornará ao sub-23.

 

FONTE: Globo Esporte- Foto: Maurícia da Mata / Divulgação / EC Vitória