Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 15/11/2019

Presidente interina da Bolívia diz que “Bíblia volta ao Palácio” após saída de Evo Morales

A senadora Jeanine Áñez assumiu a função de presidente interina da Bolívia após a renúncia de Evo Morales, seu vice-presidente e os presidentes da Câmara e do Senado. Na cerimônia de posse, ela levou um exemplar da Bíblia Sagrada e declarou que o livro estava de “volta ao Palácio”.

 

Na sacada do Palácio Quemado, Jeanine Añez fez um discurso após assumir a presidência da Bolívia de maneira interina, como prevê a Constituição do país em caso de renúncia das figuras que ocupam a linha de sucessão. Entre a renúncia de Morales e a posse da senadora, o país passou 48 horas sem presidente.

 

“A Bíblia volta ao Palácio”, disse a presidente interina em declaração dada à imprensa, repetindo o gesto do líder de oposição, o conservador católico Luis Fernando Camacho.

 

Agora, em seu mandato tampão, deverá convocar uma nova eleição em até 90 dias. Ela acredita que poderá organizar todos os detalhes necessários e realizar o pleito para que o povo boliviano eleja seu novo presidente até o dia 22 de janeiro de 2020.

 

De acordo com a imprensa internacional, Añez foi proclamada presidente interina numa sessão legislativa extraordinária, sem a presença de representantes do partido Movimento ao Socialismo (MAS), que é apoiador do presidente demissionário, e sem a quantidade mínima exigida pelo regimento para uma deliberação.

 

Por seu lado, os integrantes do MAS disseram que faltaram à reunião por questões de segurança. Alegam que estão sendo perseguidos depois que os protestos se iniciaram por todo o país em decorrência na fraude ocorrida nas eleições, conforme apontado pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

 

“O que aconteceu na Bolívia foi a verificação de fraudes monumentais. Um golpe de Estado é quando há soldados nas ruas”, afirmou a presidente interina ao negar a versão de Evo Morales, de que sua renúncia seria fruto de uma pressão golpista.

 

Na última quarta-feira, 13 de novembro, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil reconheceu Añez como presidente interina da Bolívia. “O Governo brasileiro congratula a senadora Jeanine Añez por assumir constitucionalmente a Presidência da Bolívia e saúda sua determinação de trabalhar pela pacificação do país e pela pronta realização de eleições gerais. O Brasil deseja aprofundar a fraterna amizade com a Bolívia”, comunicou a pasta, através do Twitter.

 

 

Gospel +