Profissionais da UPA participaram de treinamento de Suporte Básico de Vida

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Os profissionais da Unidade de Pronto Atendimento do bairro Queimadinha (UPA) participaram de dois dias de capacitação para Suporte Básico de Vida. O treinamento teve como objetivo reforçar procedimentos importantes em situações emergenciais que possam ocorrer dentro ou fora do serviço.

 

Manter a tranquilidade, observar a segurança do local em que a vítima está para que não ocorram outros acidentes ou tenham novas vítimas e acionar o Samu são algumas das orientações recebidas durante o treinamento que teve a colaboração da Liga do Trauma e Emergência da Faculdade Nobre.

 

A ação de iniciativa da Educação Permanente, teve o comando do enfermeiro Sebastião Edmilson Oliveira, que esteve ensinando técnicas de auxílio para a manutenção dos sinais vitais. “O suporte básico de vida é utilizado em ocasiões de parada cardiorrespiratória ou situação de engasgo (obstrução de vias aéreas por corpos estranhos). Essa atividade educativa é fundamental para que os funcionários da UPA, que não são profissionais de saúde, compreendam que todo cidadão precisa realizar conduta de primeiros socorros”, afirma o enfermeiro.

 

De acordo com o diretor médico da UPA, Denisval Cavalcanti, a capacitação visa disseminar conhecimentos básicos que devem ser prestados a uma pessoa com risco iminente de morte. “Hoje todos os profissionais, independentemente de onde atuam, serviço geral, portaria, administração, têm condições de prestar o mínimo de suporte na unidade e na comunidade onde os mesmos residem. E isso vai nos ajudar no dia a dia, porque torna a nossa equipe ainda mais capacitada”, ressalta.

 

O Suporte Básico de Vida é o conjunto de procedimentos técnicos que visam dar auxílio à vítima, realizando a manutenção dos sinais vitais. As técnicas de primeiros socorros devem ocorrer até a chegada da equipe emergencial e os procedimentos não podem comprometer nem agravar a situação da vítima.

 

 

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS