Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 08/10/2018

Renascer expulsa pastor que recusou apoio da igreja a Bolsonaro

A manifestação política de um pastor de jovens da Igreja Renascer em Cristo levou ao seu desligamento da denominação após uma intensa discussão com seu superior hierárquico. Áudios do bate-boca vazaram para a imprensa e o caso tem repercutido nas redes sociais despertando opiniões diversas.

 

Os líderes da Igreja Renascer, apóstolo Estevam Hernandes e bispa Sonia Hernandes, declararam apoio a Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições presidenciais. No entanto, um pastor que cuidava de uma congregação da igreja em São Bernardo do Campo (SP), adotou posicionamento diversificado, apoiando a candidatura de Cabo Daciolo (Patriota) em suas redes sociais.

 

Um dos bispos da igreja foi incumbido de contornar a situação, mas foi recebido com uma postura arredia do pastor Danilinho Bernassi, que se manteve irredutível sobre suas manifestações políticas nas redes sociais, contrárias a Bolsonaro.

 

Nos áudios, obtidos pela revista Vice, o bispo Phillip Guimarães tenta explicar que a postura de Bernassi reflete sobre a imagem da Renascer e expõe uma discordância entre os líderes. No entanto, aos berros, o pastor se recusa a aceitar a ingerência em sua manifestação política e a discussão sobe de tom, culminando com a expulsão de Bernassi da igreja durante um culto.

 

“O jeito que você quer é você andando do lado de lá, não do lado de cá”, disse o bispo Guimarães a certa altura da discussão, que durou mais de 30 minutos. Bernassi, então, respondeu convicto: “Eu tenho a minha opinião e você tem a sua. Eu não vou votar em Bolsonaro, vai com Jesus de Nazaré no seu voto. Eu sou a favor de Cristo, não a favor de política”.

 

No segundo áudio, o bispo pergunta se não há margem de diálogo com o pastor: “Você vai manter seu comportamento arredio e defensivo?”, perguntou Guimarães, que diante da resposta afirmativa, bateu o martelo: “Está decidido, você está desligado da Igreja Renascer”.

 

Posteriormente, nas redes sociais, Bernassi voltou a falar sobre o assunto, de acordo com informações do portal Diário do Grande ABC: “Ele simplesmente disse que era para eu apoiar o Bolsonaro e não outro candidato. Eu neguei. Me identifico muito mais com o Cabo Daciolo e é pra ele que vou continuar fazendo campanha”, afirmou o pastor expulso.

 

Gospel +