Versículo do dia
Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui, sempre, o bem, tanto uns para com os outros como para com todos.

Sátira ou ridicularização de religiões pode ser proibido no CE

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

1

Um projeto de lei apresentado no Ceará pede a proibição de manifestações que venham a satirizar, ridicularizar, menosprezar ou vilipendiar uma crença ou religião.

 
De autoria da deputada estadual Dra. Silvana (PMDB), o PL se refere a “encenações pejorativas, teatrais ou não, que façam menção a atributo ou objeto ligado a qualquer religião”. Até mesmo charges de humor que venham a ofender crenças.

 
O organizador que descumprir a lei, caso venha ser aprovada, irá pagar multa de 100 mil Ufir-CE, algo próximo a R$ 370 mil. O texto ainda torna impossibilitado que os mesmos organizadores promovam outros eventos públicos por até cinco anos sem que haja uma autorização do Poder Público Estadual e órgãos vinculados.
A autora deixa claro no texto que não se trata de proibição ou cerceamento de opiniões ou pensamentos, mas que respeitar a crença alheia é um dever.

 

“Discordar da religião alheia é um direito, mas respeitar a fé alheia, mesmo não concordando, é um dever”, afirma Dra. Silvana.

 
O PL apresentado fez com que o caso de uma apresentação teatral na Universidade Federal do Ceará fosse relembrado. O monólogo “Histórias Compartilhadas” virou polêmica por mostrar um ator derramando o próprio sangue na imagem de Cristo crucificado.

 
“O monólogo trouxe à discussão o limite necessário entre a liberdade de expressão e o respeito ao sentimento religioso”, diz Silvana. A deputada lembrou que até mesmo a Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE) criticou a peça teatral por ser um desrespeito à liberdade religiosa.

 
Ao falar sobre o PL, Ari Areia, o ator responsável pela peça, criticou o texto e disse que se trata de uma censura. “Esse tipo de projeto (de Silvana) lembra momentos obscuros do país, onde os artistas sofriam perseguição e tentativas de silenciamento constante”.

 
Em suas redes sociais, como citou o G1, o ator afirmou que não pretende deixar de realizar apresentações com esse monólogo e comemora o convite para se apresentar em outra universidade.

 

 

GOSPEL PRIME

OUTRAS NOTÍCIAS