Versículo do dia
Encha-se a minha boca do teu louvor e da tua glória todo o dia.

Saúde: Programa Consultório de Rua faz ação noturna

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

22102015111746O pé da moradora de rua apresentava uma ferida infeccionada, resultado de uma frieira. Uma enfermeira fez o curativo e o médico receitou um medicamento para combater o problema. Tomou o comprimido e sem querer se identificar, a mulher rapidamente deixou o local onde estava, na rua Vasco Filho, com outras duas pessoas. Ela foi uma das pessoas atendidas pela equipe do Programa Consultório de Rua, na noite de quarta-feira, 21.

 

O médico Ritze Viegas disse que não deixa a cartela com a paciente porque ela pode jogar o medicamento fora. “Na quinta-feira a gente retorna e ministra a segunda dose do comprimido”, explica. Segundo ele, os casos mais comuns entre os moradores de rua é a frieira, micoses, problemas mentais, diabetes e hipertensão. Mas já foram diagnosticados casos de hanseníase e tuberculose. Eles recebem o tratamento, mas quando o quadro é mais grave são encaminhados para as policlínicas.

 

De acordo com a chefe da Atenção Básica, da Secretaria Municipal de Saúde, Valdenice Queiroz, já são mais de 210 moradores de rua cadastrados no programa. “A nossa equipe todos os dias está nas ruas para atender esta parcela da nossa comunidade. É um trabalho dos mais prazerosos e que apresenta resultados positivos”.

 

Outro morador que atendido foi o idoso Evandro Cruz, que também estava na Estação Rodoviária. Teve a pressão arterial verificada e medido o índice glicêmico. Recebeu, também, um copo de café com leite e um pão. Foi a sua primeira refeição do dia. “O atendimento é bom. São pessoas delicadas e preocupadas com a nossa saúde”. Revelou que mora nas ruas há alguns anos, desde que foi expulso da casa dele, no Subaé.

 

PRIMEIRO ALIMENTO

 

O pequeno Gabriel também apresentou problemas de micose. Foi medicado e a mãe dele, Carmem Ferreira dos Santos, recebeu a pomada que deve ser aplicada todos os dias. Disse que o alimento que lhe foi oferecido era o primeiro do dia. O menino, declarou, teria comido um iogurte – e nada mais. Nas ruas de Feira de Santana há dois anos, disse que nos próximos dias vai voltar para Serrinha, cidade natal.

 
A equipe, formada por médico, enfermeira, psicóloga, assistente social e técnicos de enfermagem, também esteve em outros pontos onde este segmento social se reúne, como as imediações da Catedral Metropolitana e a Praça de Alimentação.

 

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS