Secretário sobe o tom e manda recado para pastores de Feira: “Acredito que é necessário acabar com essa questão de religião pelo meio”, dispara Edson Borges

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
imagem reprodução / Pixabay e Jorge Magalhães

O jornalista afirma que não vai à missa, não tenho religião e não é ateu

Cansado de ser tachado de ser contra os evangélicos de Feira de Santana, o Secretário de Comunicação da Prefeitura Municipal alega não ter nada contra os cristãos e ressalta não haver discriminação por sua parte. Edson Borges ressalta que a ausência do prefeito em uma programação gospel são apenas coincidências na agenda de Colbert. O jornalista também comentou os questionamentos feitos pelo radialista Denivaldo Costa.

Programa de rádio

“Não é marcação ou temor de ir no programa, ou não responder as perguntas do público evangélico”, retrucou rebatendo a polêmica de não cumprir agenda com o público gospel, que ajudou a vencer o PT no segundo turno.

Recado aos pastores

O chefe da secretaria de Comunicação diz que não trata ninguém mal e não sabe de onde vem tais comentários sobre discriminação em relação aos evangélicos. “Acredito que é necessário acabar com essa questão de religião pelo meio. Eu vou dizer uma coisa, que pode esclarecer aos pastores; eu tenho fé, muita fé em Jesus e sou um sujeito que rezo muito”, disse em alto e bom tom em uma mensagem de áudio.

Declarações íntimas

“Eu não sou ateu e não tenho religião e não vou à missa. Eu tenho amizades evangélicas, católicas, espíritas no candomblé e em tudo que é canto, porque eu respeito todas, cada um tem sua opção livre”, disparou em mensagem de whatsapp reafirmando que reza muito e que tem muita fé em Jesus.

“Que fique muito bem esclarecido, eu seria muito estúpido como secretário agir com discriminação”, esclareceu novamente negando o suposto despezo ao segmento e apelando por perdão das possíveis falhas.

Resposta do Radialista

“Quem perdoa é Deus não sou eu não, porém não vou ficar correndo atrás de ninguém e se houve problema no dia, cabe ao chefe do setor remarcar e não fingir que não houve compromisso, isso é desculpa esfarrapada”, rebateu Denivaldo Costa, questionando a ausência e que por várias vezes ligaram confirmando a presença, e no dia não comparece.

“Acredito na falta de empenho e compromisso com o seguimento sim, pois foi marcado duas vezes e caso de uma terceira falha, posso deixar engatilhada uma trilha sonora”, ironizou o comunicador.

“O prefeito segue uma agenda e cabe ao líder da comunicação a orientação, mas pelo já notamos a resposta a mão amiga que ajudou o prefeito no período eleitoral”, disse o repórter criticando a assessoria

Falta de interesse ?

No mês de maio, o ex-ministro João Roma e a pré-candidata ao Senado Dra.Raissa estiveram na Igreja Batista Central, no evento da Família Brasileira, mas o prefeito não foi informado pelo chefe de comunicação da Prefeitura sobre evento. Colbert comentou em off com repórter que gostaria de estar presente na sua última entrevista concedida ao Portal Cidade Gospel.

O bom relacionamento poderia ter facilitado a informação para a Ascom, mas pelo visto a notícia ficou no meio do caminho, ou alguém não tinha interesse no evento cristão.

Corte na verba do programa de rádio da Quadrangular – Mera coincidência ?

O programa do pastor Tom, aliado político do prefeito teve a verba publicitária cortada, mas depois de um tempo “uma voz falou mais alto” e a publicidade retornou para felicidade do programa Vivendo pela Fé da igreja do Evangelho Quadrangular, transmitido pela rádio Subaé.

O corte pode ter sido ‘involuntário ou mera coincidência’ contra o público cristão?, perguntou um internauta. “Não entendo, porque tanta dificuldade dos pastores de comunicação com o prefeito?”, indagou outro.

“Não suportam os evangélicos

Recentemente, os líderes da Marcha para Jesus afirmaram que no Governo Municipal existem pessoas que não suportam os evangélicos e eles suspeitam de uma “trava burocrática”, fato que pode trazer empecilho à realização do evento.

O fato é público e notório, inclusive já foi citado pelo pastor e vereador Valdemir Santos e outras pessoas que compõem a estrutura municipal, que não se pronunciaram, talvez temendo uma possível retaliação.

Fonte- Portal Cidade Gospel

 

 

 

 

OUTRAS NOTÍCIAS