Versículo do dia
Não julgueis, para que não sejais julgados.

Sesab determina que médico devolva dinheiro arrecadado para reforma do HGCA

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

17341-2A situação precária do Hospital Geral Clériston Andrade fez com que o professor universitário no curso de Medicina em Feira de Santana e Coordenador de Residência de Clínica do Hospital Geral Clériston Andrade, César Oliveira, pedisse através do Facebook doações para a reforma dos postos de enfermagem e sala de medicação clínica médica do hospital. Na tarde da última segunda-feira (4), o iBahia entrou em contato com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) para saber se já existia um plano para reforma do local e se já estava ciente da atitude do médico. Em resposta, a secretaria definiu a atitude irregular, precipitada e realizada sem o consentimento da diretoria do hospital e da Sesab.

 

Na nota, a secretaria também informou que apesar da iniciativa nobre do médico em nenhum momento ele foi autorizado pela instituição a realizar qualquer tipo de ação para arrecadar fundos com a finalidade de realizar reformas na unidade. Afirmando que qualquer reforma ou construção deve ser realizada, obrigatoriamente, com a ciência e acompanhamento da Diretoria de Obras, Projetos em Saúde (Diops).

 

A Sesab também informou que o médico será notificado pela diretoria do Hospital Geral Clériston Andrade, para esclarecer a situação e determinou a retirada da postagem na rede social utilizada e que todo o dinheiro arrecadado seja devolvido para os doadores. O médico juntou um total de R$5.500,00 entre os dias 30 de julho e 1º de agosto. A secretaria afirmou que caso isso não aconteça o órgão adotará as medidas legais cabíveis através da abertura de processo administrativo no sentido de apurar a conduta do médico.

 

Sobre a necessidade da reforma urgente do local, uma vez que o médico descreveu o local como precário e inadequado, a Sesab informou que desde 2007 o hospital encontrava-se em péssimas condições com relação à sua manutenção predial.

 

Segundo a secretaria, desde então já foi investido mais cerca de 9 milhões de reais em reformas e ampliações de diversos setores do Hospital Geral Clériston Andrade, inclusive, reformando e ampliando o número de leitos de UTI adulto, infantil e neonatal, promoveu a completa reforma do refeitório, de algumas enfermarias e outras instalações. Ademais, também está em fase de finalização mais um processo licitatório, no valor de R$ 780 mil, com a finalidade de promover mais um conjunto de reformas na unidade.

 

Em nota divulgada no Facebook, o médico César Oliveira afirmou que sentiu-se frustrado com a proibição, uma vez que seu objetivo era unicamente colaborar com a admistração pública. Ele informa ainda, na publicação, que já devolveu o dinheiro aos doadores e aguarda, agora, um comunicado oficial para cumprir o que for legal, já que, segundo afirma, respeita a hierarquia.

 

As informações são do Ibahia.

OUTRAS NOTÍCIAS