Sesp orienta sobre coleta seletiva de lixo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

2052015111257Quantas vezes você já viu sacos plásticos, garrafas pet, copos descartáveis jogados indevidamente nas vias públicas? Essa situação pode gerar sérios problemas durante a temporada de chuvas, favorecendo a lentidão do escoamento da água, obstruindo galerias e bueiros e provocando alagamentos de ruas e residências.

 

Visando deixar a cidade mais limpa e agradável, a Prefeitura de Feira de Santana realiza um trabalho permanente de orientação aos moradores para incrementar o projeto de coleta seletiva. Inicialmente foram definidos como locais da coleta especial os conjuntos residenciais Milton Gomes e Centenário, além do Condomínio José Falcão da Silva.

 

Os moradores separam o lixo seco do lixo orgânico e além da coleta regular, às terças-feiras é feita a coleta seletiva, quando são recolhidos os materiais recicláveis que incluem, entre outros, plásticos, metais, vidros, papel e papelão, embalagens longa vida e isopor.

 

O material é encaminhado para a associação de catadores, onde ocorre a triagem. Para agregar valor, ali mesmo são feitas a pesagem e a comercialização, gerando emprego e renda num projeto paralelo de inclusão social.

 

“A coleta seletiva também aumenta a vida útil do aterro sanitário para onde são destinados somente os resíduos que não têm nenhum aproveitamento”, salienta Deibson de Souza Cavalcanti, chefe de Gabinete da Sesp.

 

UNIVERSIDADES

 

A expectativa é aumentar a adesão à coleta seletiva por parte da população e, com isso, permitir a expansão do serviço para outros locais. A partir dos condomínios a Prefeitura pretende avançar por todo o bairro.

 

“Independente de existir ou não coleta seletiva, o morador pode separar o material reciclável. Até mesmo o catador avulso pode recolher sem espalhar o lixo e assim facilitar a coleta regular”, orienta.

 

Ao lado de Secretaria Municipal de Serviços Públicos, participam do projeto as Secretarias Municipais de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Social, com o apoio das Universidades Estadual de Feira de Santana e Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

OUTRAS NOTÍCIAS