Terapias são diferencial no tratamento de pessoas com doença falciforme

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

O serviço é gratuito e tem apresentado resultados positivos

A dor nos ossos e articulações são muito comuns em pessoas com doença falciforme. Para aliviá-las algumas terapias integrativas e complementares podem ajudar. O reiki, microfisioterapia e florais de Bach são algumas das alternativas implantadas para o tratamento dos pacientes cadastrados no Programa Municipal de Apoio à Pessoa com Doença Falciforme, em Feira de Santana.

A técnica da microfisioterapia propõe tratar a causa do problema, não apenas os sintomas. Com as mãos, a fisioterapeuta localiza pontos no corpo do paciente. Os toques fazem com que a memória do organismo diferencie todos os traumas vividos, seja de ordem física ou emocional, estimulando a autocura.

“Isso é possível porque nosso organismo tem uma memória própria, que é construída através de micromovimentos imperceptíveis dos nossos órgãos e células. Com esta memória, podemos identificar as razões para a perda de vitalidade e descobrir a causa ou o trauma que explique a origem de doenças e de vários sintomas que atrapalham a qualidade de vida”, afirma a fisioterapeuta, especialista em microfisioterapia, Camila Franqueira.

Segundo a enfermeira e coordenadora do programa, Luciana Brito, já é possível perceber a melhora nos pacientes. “Ouvimos comentários dos pacientes que melhoraram as dores ou que melhoraram a qualidade do sono e tudo isso vem a agregar ao nosso serviço”, destacou.

Pessoas com anemia falciforme que desejam realizar o tratamento com terapias integrativas e complementares podem se cadastrar no Programa Municipal, localizado na rua Prudente de Morais, 170, Ponto Central.

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS