Tijolos, telhas, madeiras e portas estão sendo reaproveitados pela Prefeitura em obras ou doados

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O material retirado de prédios ou equipamentos públicos que estão sendo reformados está sendo reaproveitado pela Prefeitura de Feira de Santana em novas obras ou doados para famílias carentes.

 

Cerca de 40 mil tijolinhos estão à espera de novas obras, como os PVs da rede pluvial que está sendo construída na estação de transbordo da Pampalona.

 

Outros materiais, como areia, paralelepípedos, telhas, madeiras, cascalho são reaproveitados em obras ou serviços de reforma realizados pelo município ou doados para que famílias carentes usem na construção ou reforma das suas casas.

 

A reutilização, prática adotada pelo município, diz o prefeito Colbert Filho, além de favorecer o meio ambiente, porque cai a demanda da matéria-prima e significa economia para o município. “Convertermos possível desperdício em material útil, que pode contribuir para mudar a vida as pessoas e relação harmônica com a natureza”.

 

Com a iniciativa, a Prefeitura coloca em prática dois dos 3 Rs da sustentabilidade: reduzir e reutilizar – o terceiro é reciclar. A prática prolonga a vida útil do material, reduzindo os custos para adquiri-lo e para o meio-ambiente.

 

O secretário de Desenvolvimento Urbano, José Pinheiro, afirmou que tudo que todo material que for reutilizável está sendo levado para o depósito. “Nos adotamos uma visão diferenciada para o resto de construção ou o que é retirado de um local para que uma obra seja feita”.

 

Os telhados, a madeira e as portas, por exemplo, são destinados à doação para as famílias carentes, de acordo com os perfis adotados pela Secretaria de Desenvolvimento Social. “A reutilização também contribui para a gestão dos resíduos, porque o material seria descartado”.

 

Foto: Washington Nery

OUTRAS NOTÍCIAS