Versículo do dia
Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? — diz o Senhor. Porventura, não encho eu os céus e a terra? — diz o Senhor.

Cristãos iranianos são condenados a 80 chibatadas por tomarem ceia

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

ceia-do-senhor (1)

Três homens iranianos que se converteram ao cristianismo foram condenados a receber 80 chicotadas cada. A acusação é terem tomado vinho, algo que viola lei islâmica do país.

 

Yasser Mossayebzadeh, Saheb Fadaie e Mohammad Reza Omidi foram presos, acusados de apostasia. Para o governo iraniano, a mudança de religião é proibida. Oficialmente eles continuam sendo muçulmanos e por isso não podem ingerir álcool. A polícia religiosa diz que ao tomarem a ceia eles infringiram a legislação.

 

No caso de Omidi, as coisas se tornam mais complicadas pois ele já tem uma condenação anterior por beber álcool. Se for condenado uma terceira vez, será condenado à morte.

 

Um caso semelhante ocorreu em agosto, quando 11 cristãos iranianos foram presos por realizar um culto e tomarem a ceia.
Desde o ano passado, as autoridades iranianas já colocaram mais de 200 cristãos atrás das grades. Pelo menos 43 cristãos foram presos nos últimos 60 dias.

 

Paul Robinson, presidente-executivo da Release International, questiona: “Por que os cristãos devem ser proibidos de tomar a ceia? Por que o Irã recusa aos seus próprios cidadãos a mais básica de todas as liberdades, a liberdade de escolher sua própria fé?”. Ele lamenta que não há nenhum tipo de mobilização política internacional que contrarie o regime totalitário de Teerã.

 

Ameaça Nacional

 

Os três cristãos também foram acusados de “agir contra a segurança nacional”, embora não esteja claro como fizeram isso. Esse mesmo tipo de processo foi instaurado contra o pastor Youcef Nadarkhani, que em 2009 chegou a ser condenado à morte por apostasia.

 

Por causa da interferência de grupos cristãos estrangeiros que lutam pelos direitos humanos, foi posteriormente libertado. Em 2012, ele voltou a ser preso, desta vez junto com sua esposa Tina. Ele foi acusado de agir contra a segurança nacional. Ele aguarda o novo julgamento.

 

Se condenados, os três convertidos e pastor Youcef podem pegar até seis anos de prisão por este crime. Todos devem comparecer ao Tribunal Revolucionário em Rasht.

 

GOSPEL PRIME

OUTRAS NOTÍCIAS